Suspeito de ataque DDoS usava carrinha como escritório

A polícia espanhola deteve um suspeito de ataques DDoS à Spamhaus.

Um  suspeito de participar no ataque DDoS à Spamhaus, uma organização anti-spam, circulava por Espanha numa carrinha usada como escritório móvel, alega o Ministério do Interior espanhol. O ataque chegou a provocar assinaláveis perturbações no funcionamento da Internet.

A carrinha estava equipada com “várias antenas” usadas para analisar as frequências rádio, disse o ministério num comunicado. O detido é um homem holandês de 35 anos de idade, e foi preso na passada quinta-feira, em Barcelona.

O suspeito terá sido identificado como Sven Kamphuis, por um agente próximo da investigação, e negou envolvimento no ataque. Mas as autoridades holandesas só identificaram o suspeito pelas iniciais “SK”, por razões de privacidade.

A polícia espanhola fez também uma rusga a  uma residência onde  encontrou uma sala repleta de fios e equipamentos de informática, incluindo routers, um computador Mac Mini, outros portáteis, e uma antena . Havia também vários carimbos de borracha, um com a expressão “NATO secret” e outro com “NATO unclassified”.

Kamphuis diz acreditar que os ataques tiveram origem com os membros da Stophaus, um grupo cujo objectivo é neutralizar o trabalho antispam da Spamhaus. No momento da sua detenção, o sujeito originário de Alkmaar, (Holanda) disse ser o ministro das telecomunicações e dos Negócios Estrangeiros da República da CyberBunker – segundo a polícia espanhola disse.

O ataque DDoS atingido um pico de tráfego de mais de 300Gbps, tornando-se um dos maiores registados. Mas especialistas em segurança informática discordam sobre o seu efeito mais amplo sobre a Internet.

Não obstante a ofensiva causou problemas em alguns nós europeus, ou em ligações nas quais onde os ISP transferem tráfego uns para os outros.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado