Comissão Europeia revela propostas antimonopolistas da Google

Os rivais da Google têm um mês para se pronunciarem quanto às medidas correctivas propostas pela gigante da busca online.

Os queixosos das práticas da Google terão um mês para avaliarem e se pronunciarem sobre as soluções propostas pela empresa para a defesa do ambiente concorrencial no mercado da busca e publicidade online, anunciou a Comissão Europeia.

Para dissipar as preocupações da Comissão, a Google propõe, nos próximos cinco anos, identificar claramente as ligações patrocinadas nos seus próprios serviços de busca especializados, para os utilizadores poderem distingui-los dos resultados naturais de busca na Internet. Quer ainda exibir nas páginas, ligações para três serviços rivais.

Para lidar com as alegações de que possa ter copiado conteúdos sobre viagens e restaurantes, a partir de sites concorrentes sem permissão, pretende oferecer a todos essas entidades a opção de prescindirem da utilização do conteúdo nos resultados do seu motor de busca. Os editores de jornais já têm essa opção relativamente ao Google News.

Finalmente, nos seus contratos com os anunciantes, a Google diz que deixará de obrigar os clientes a obterem anúncios online de busca, exclusivamente do Google.

“Vamos suspender a nossa avaliação final sobre as propostas da Google até termos tido tempo para analisá-los em detalhe, mas nós e outros tentaremos perceber como correspondem aos nossos padrões. Os primeiros sinais são de que as propostas do Google ficam aquém dos nossos requisitos mínimos”, disse Shivaun Raff, director executivo da Foundem, uma das primeiras organizações a queixar-se à Comissão sobre a Google.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado