Migrações “fáceis” do Windows XP já foram feitas – problema são as outras…

Estudos mostram que as grandes empresas têm feito o menor progresso na migração do Windows XP para o Windows 7, já que 64% ainda não concluiu a mudança.

As actualizações fáceis para o Windows XP já foram feitas, disseram especialistas em migração, prevendo que um grande número de empresas ainda estará com o sistema operativo daqui a um ano.

A Microsoft planeia abandonar o suporte ao Windows XP, incluindo actualizações de segurança para o público, a 8 de Abril de 2014. Mas os especialistas dizem que, enquanto muitos clientes deixaram o XP para trás, aqueles que não o fizeram estão entre as maiores corporações e organizações do mundo que, nalguns casos, têm dezenas de milhares de PCs com o XP.

“Os nossos estudos têm mostrado que as grandes empresas têm feito o menor progresso na migração do Windows XP para o Windows 7, já que 64% ainda não concluíram a mudança”, disse Betty Junod, directora de marketing de produtos desktop da VMware, empresa dos EUA conhecida por seu software de virtualização. As médias empresas têm feito mais progressos, disse Junod por e-mail. Pouco mais de metade – 52% – dessas companhias ainda não efectuou a migração.

A Browsium, empresa  de Washington que permite aos clientes executar versões mais antigas do Internet Explorer dentro de edições mais recentes, concorda. “As migrações fáceis do Windows 7 já foram feitas. O que resta são as migrações difíceis e caras que enfrentam a maioria das empresas”, escreveu recentemente o presidente e COO da empresa, Gary Schare.

Schare elaborou sobre o assunto numa entrevista. “O nosso cliente típico é uma organização grande e velha, bancos, saúde, governo”, disse. “E cada um deles está preso na sua migração [do XP para o Windows 7]”.

Nalgumas organizações, a situação é ainda mais grave. Na semana passada, a empresa britânica de migração Camwood citou um estudo com 250 decisores de empresas de TI com 2 mil ou mais empregados. De acordo com esse estudo, apenas 42% das companhias representadas começaram a deixar o XP.

“Nestes tempos económicos difíceis, não é de surpreender que os líderes de negócios não queiram investir uma quantia substancial de dinheiro em algo que, essencialmente, não está inutilizável, como é o caso do Windows XP actualmente”, disse Adrian Foxall, CEO da Camwood, por e-mail.
(Computerworld/IDG Now!)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado