Tempestade perfeita leva a maior queda no mercado de PC

Mas o Windows 8 é um dos principais factores para a retracção trimestral histórica de 14%, segundo a IDC.

O Windows 8 e a Microsoft sofreram mais um revés quando a IDC, assinalou o sistema operativo como um dos grandes culpados para a queda histórica de 14% no mercado mundial de PC, verificada nas vendas do primeiro trimestre de 2013. Tanto a IDC com a Gartner divulgaram as suas estimativas, e a primeira pintou um quadro sombrio sobre a indústria.

O declínio de 14% para 76,3 milhões de unidades, estimado numa comparação homóloga pela IDC, foi a maior de sempre em quase duas décadas. A Gartner diz que a retracção global foi de 11%.

O analista da IDC, David Daoud, ressalvou que o Windows 8 acaba por ser apenas um dos vários factores para a queda. “Foi uma tempestade perfeita “, ilustrou.

Outros factores importantes na sua opinião foram uma saturação geral de PC, especialmente em países desenvolvidos como os EUA, o facto de os PC comprados a partir de 2008 ou 2009 continuarem “suficientemente bons ” para as exigências, e as condições de estagnação económica em algumas partes do mundo.

Embora a queda fosse esperada – a IDC, por exemplo, tinha previsto uma contracção na ordem dos 8%, de ano para ano – os números estimado surprenderam um analista da consultora;  “É brutal”, disse Bob O’Donnell, da IDC. “Estes números são desastrosos”.

O’Donnell foi um dos analistas do IDC que culparam particularmente o Windows 8. “Não só não ajudou, mas prejudicou as vendas de PC”, disse.

Em comunicado que acompanhou as estimativas da empresa, O’Donnell enumerou uma série familiar de aspectos do Windows 8 que confundiram os consumidores e os levaram a não comprar PC novos: o interface arrojado baseados em “mosaicos”, a remoção do botão iniciar e do menu no ambiente “Classic”; e a estratégia de dar prioridade à interacção por toque.

“Os custos associados com PC de interacção por toque tornaram-nos uma alternativa menos atraente face a tablets e outros dispositivos competitivos”, disse O’Donnell num comunicado. “A Microsoft terá de tomar algumas decisões, se quiser ajudar revitalizar o mercado de PC”.

Jay Chou, outro analista da IDC, considera que “os consumidores estão a perceber que a experiência de utilização está comprometida, sem primar como uma nova interface de mobilidade nem como interface de desktop clássico”. “Muitos estão preocupados com a actualização para o Windows 8.”




Deixe um comentário

O seu email não será publicado