Anacom aprova fusão da Optimus na Zon com salvaguardas (actualizada)

Na posição enviada à Autoridade da Concorrência, entidade reguladora não se opõe mas quer dois remédios “muito detalhados”.

A autoridade reguladora do sector das comunicações já terá dado o seu aval à concretização da fusão da Optimus na Zon, revela hoje o Público, com recomendação de “remédios que evitem distorções do mercado”.

Na posição enviada à Autoridade da Concorrência (AdC), “a Anacom manifesta não-oposição ao negócio” mas advoga “dois remédios ‘muito detalhados’. Esses remédios, com ‘questões muito específicas’, têm a ver com o mercado de acesso às redes de telecomunicações”, refere aquele diário.

A fusão das duas operadoras “dará origem à segunda maior empresa do sector das telecomunicações e isso já levou a Portugal Telecom (PT), a Vodafone e a Cabovisão a constituírem-se junto da AdC como contra-interessadas na operação (activos de voz fixa e móvel, Internet e televisão)”, refere ainda o Público.

Nem a Anacom ou a AdC responderam até ao momento a questões do Computerworld e o site de ambas as instituições não fornece qualquer informação sobre o assunto. As empresas também não comunicaram qualquer informação relevante à CMVM.

Actualização: A Anacom revelou que não irá fazer qualquer “comunicado sobre o assunto” e que “nunca divulga o teor dos pareceres que lhe são pedidos por terceiras entidades”, sendo “totalmente alheios à noticia do Público”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado