Accionistas aprovam controlo da Edisoft pela Thales

Como resultado de uma operação de saneamento, o grupo francês assume parte de uma dívida de oito milhões de euros e passa a deter 65% do capital da Edisoft.

A Thales vai passar a controlar o destino da Edisoft, depois dos seus accionistas terem aprovado hoje a cedência da maioria do capital ao grupo francês, avança a Lusa citada pela RTP. A Thales passa a deter 65% do capital social da empresa do grupo Empordef, assumindo uma dívida de oito milhões de euros.

A operação de saneamento do tipo “harmónio” envolve uma dívida  de sete milhões à banca (ao BES, ao Santander Totta, à Caixa Geral de Depósitos e ao Banif) e um milhão de euros a fornecedores. O total será assumido pelos três accionistas Thales, Empordef e NAV em partes iguais. As duas últimas passam a deter cada uma 17,5% do capital social da empresa.

Apenas o BES e o Santanter se manterão na operação de recapitalização da Edisoft, segundo a RTP. De um total de 110 trabalhadores há dois anos, a Edisoft ficará com apenas 51 profissionais no final do processo de restruturação.

O presidente executivo da Edisoft, Rodrigo Adão da Fonseca, vai sair da empresa no fim da operação. “O envolvimento do Grupo Thales, uma empresa que emprega mais de 65 mil trabalhadores, vem ainda reforçar a confiança na engenharia portuguesa, numa aposta clara que irá permitir criar já no curto prazo vários postos de trabalho, em benefício da economia portuguesa, uma vez que a nova Edisoft irá estar sobretudo vocacionada para os mercados de exportação”, comentou num  email enviado à Lusa.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado