COI do Porto é “candidato” a ferramenta de gestão autárquica

O Centro de Operações Integrado (COI) envolve a colaboração da IBM e da Universidade do Porto num projecto-piloto de seis meses. Poderá servir como plataforma prestadora de serviços ao cidadão e às empresas para a área metropolitana do Porto.

O projecto-piloto para um Centro de Operações Integrado (COI) no Porto deverá lançar as bases para a criação para aquilo será uma ferramenta de gestão da autarquia, sugere um comunicado da empresa. O protocolo de colaboração entre IBM, Câmara Municipal do Porto e Universidade do Porto, de suporte à iniciativa, foi hoje assinado e a fase inicial terá a duração de seis meses.

À partida o Centro de Operações Integrado (COI) deverá procurar reunir serviços da autarquia e de entidades externas com o objectivo de visualizar e monitorizar as ocorrências de toda a cidade de uma forma integrada – esclarece um comunicado do fabricante. O projecto-piloto “procurará agregar e atribuir valor à informação proveniente de diferentes fontes, para responder de forma rápida e eficaz a qualquer situação de emergência”, avança ainda.

A ideia enquadra-se numa perspectiva de transformação do Porto em “Cidade Inteligente“ (Smart City) – um conceito amplamente promovido pela IBM. A colaboração prevê que o COI se transforme numa ferramenta capaz de proporcionar “uma visão amplificada, para uma maior eficiência e operacionalidade na gestão diária da cidade”.

Poderá servir ainda de plataforma prestadora de serviços ao cidadão e às empresas, abrangendo inicialmente apenas a cidade e numa fase posterior toda a Área Metropolitana do Porto, revela o documento. IBM vai colocar à disposição a infra-estrutura de hardware e software necessária ao projecto, ou em alternativa disponibilizará os serviços em modelo cloud.

“As actuais capacidades de instrumentalização tecnológica, de interconectividade e de processamento analítico da informação permitem identificar ineficiências e criar soluções. E, neste contexto, as cidades são um microcosmos perfeito para a construção de um mundo mais inteligente”, sublinha o presidente da IBM Portugal, António Raposo de Lima.

Nesta linha, as expectativas incluem a perspectiva de o COI ajudar “os serviços da cidade a prepararem-se para eventuais problemas antes que eles surjam, e coordenar e gerir a resolução dos mesmos, facilitando a comunicação entre os diferentes intervenientes e permitindo a planificação e sincronização dos esforços”. Outra expectativa é de que o novo centro possibilite aos cidadãos interagirem em tempo real com a cidade, utilizando ferramentas de colaboração e redes sociais, deixando, por exemplo, sugestões ou assinalando situações de risco.

“Ao assinarmos este protocolo damos mais um passo no sentido de estudar, desenvolver e testar soluções que visem tornar o Porto numa cidade, ainda mais inteligente, com maior envolvimento e maior proximidade do cidadão, mas que ao agregar, integrar e relacionar informação e interligar sistemas permitirá planear melhor, antecipar problemas, melhorar os processos de decisão e os níveis de serviço” refere o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio. A IBM assina ainda uma adenda ao protocolo com a Universidade do Porto (UP), de modo a alargar o âmbito da parceria entre as duas entidades.

O novo protocolo entre a UP, a Faculdade de Engenharia (FEUP) e a IBM, no âmbito do Centro de Estudos Avançados (CAS IBM Portugal), prevê uma colaboração mais estreita com vista ao desenvolvimento de soluções avançadas nas áreas das TIC. Incluído na parceria está também a utilização por parte da UP do software Intelligent Operations Center da IBM, no contexto do novo Centro de Competências para as Cidades do Futuro promovido pela FEUP. “Os desafios de sustentabilidade da vida nas cidades precisam de respostas que se devem basear em informação fiável. Há nas cidades múltiplos sistemas ainda isolados para recolha e processamento de informação relevante, em crescimento acelerado, e que colocam enormes desafios tecnológicos, económicos e sociais. O presente acordo irá potenciar trabalho de investigação multidisciplinar de excelência que no futuro irá permitir viver melhor nas nossas cidades”, explica o Reitor da Universidade do Porto, José Marques dos Santos.



  1. Vasco Liberal Lima 4 de Abril de 2013, 17:58

    Boa notícia, para Portugal e, particularmente, para a cidade do Porto, que tem evidenciado ultimamente apreciável dinâmica, com o anúncio de iniciativas de alto nível. No clima de grandes dificuldades que o País atravessa, é muito bom o surgimento de notícias como esta, que prometem forte e acelerado progresso. Esperamos todos que este projecto não sofra atrasos e que, pelo contrário, seja muito rápido na disponibilização de mais-valias funcionais, tanto por todos os munícipes do Porto, como pela UP.

Deixe um comentário

O seu email não será publicado