“Sete Mares” prende sete por “phishing”

Polícia Judiciária faz 15 buscas domiciliárias, com detenção de seis homens e uma mulher por burla informática, acesso ilegítimo, branqueamento de capitais e associação criminosa.

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou hoje ter envolvido 70 investigadores para deter sete pessoas na zona de Lisboa pela prática de “phishing”, no âmbito da denominada operação “Sete Mares”, que contou com a participação das autoridades brasileiras. O grupo terá defraudado em cerca de 150 mil euros, “valor que tenderá a crescer com a identificação de novos casos que lhe são imputáveis”, diz a PJ em comunicado.

A investigação decorreu “nos últimos meses” e os “sete detidos, conjuntamente com um número significativo de outros arguidos, colaboravam entre eles, para, ilicitamente, se apoderarem de quantias monetárias de terceiros, através da utilização ilícita da ‘banca online’, numa atuação que, no meio, é conhecida como ‘phishing’”.

A PJ, o Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa e autoridades policiais brasileiras identificaram “o papel dos líderes, dos angariadores e das chamadas “Money Mules” que faziam parte do esquema fraudulento”.

A operação policial, que envolveu 70 investigadores, permitiu ainda “a apreensão de diverso material informático e tecnológico adquirido pelo grupo para a sustentação da sua atividade, bem como um conjunto vasto de documentação comprovativa da prática dos delitos”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado