BlackBerry agrada a analistas mas não a investidores

As sessões da Nasdaq fecharam com as acções da empresa a caírem 12% na quarta-feira, apesar de os analistas verem os novos Z10 e Q10 como dispositivos com os quais a ex-RIM poderá transformar o seu negócio.

O preço das acções da Blackberry caíram 12% na sessões de quarta-feira da Nasdaq, depois de a empresa anunciar a mudança de nome – antes era RIM – e o lançamento de dois smartphones: o Z10 e o Q10. Os dispositivos apresentam-se como uma promessa interessante para muitos analistas, mas os investidores mostraram-se desapontados.

Há analistas de investimento – como os do Credit Suisse – que duvidam da capacidade de a empresa recuperar terreno num mercado difícil dominado por dispositivos com os sistemas operativos Android e iOS. Para outros as novas ofertas – e o novo nome – podem constituir uma hipótese de a Blackberry transformar o seu negócio.

A base de clientes da empresa está em declínio situando-se nos 79 milhões, com o segmento empresarial a representar apenas 25% do total que – um retrocesso marcado, dos últimos três anos. Os dois novos smartphones – os primeiros a serem apresentados pela empresa canadiana em 18 meses – parecem abranger os dois principais grupos de clientes de smartphones: de utilização pessoal e profissional, concordaram vários analistas.

Mas na verdade, os utilizadores profissionais estão a comprar smartphones pessoais em números recordes para usar no trabalho, esbatendo o fosso entre o uso pessoal e profissional. “Há mais smartphones a serem comprados para o trabalho pelos empregados, e não o departamento de TI”, garante Bob O’Donnell, analista da IDC.

Os recursos de foto e vídeo no “Z10 e Q10 vão seduzir os utilzadores domésticos “, enquanto a capacidade de separar a actividade laboral, da área pessoal,  com a tecnologia Balance, que cria dois espaços seguros para separar dados pessoais de informação empresarial, constitui um elemento apelativo fundamental para os gestores de TI e locais de trabalho. O’Donnell foi  oa ponto de dizer que algumas “fissuras” na “armadura” do iPhone da Apple poderão abrir pequenas oportunidades para o Z10.

“O iPhone ainda é interessante? Há algum cansaço sobre o iOS e para alguns utilizadores, o iOS está velho”, disse. “Isso deixa algumas oportunidades para o BlackBerry, embora sejam pequenas”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado