Comissão Europeia define estratégia de criação de competências em TIC

A comissária europeia para a Agenda Digital, Neelie Kroes, apela a agentes do sector e parceiros sociais para a promoção de competências e formação, e pretende criar para tal uma coligação.

O sector das TIC enfrenta na Europa uma maciça escassez de competências, havendo 700 mil postos de trabalho por preencher com os níveis de competitividade em declínio, alertou a Comissão Europeia. Enquanto o número de empregos digitais está a crescer a 3% por ano – apesar da crise económica – o número de novos profissionais graduados e outros trabalhadores qualificados em TIC está a encolher, segundo dados da Comissão Europeia.

A comissária europeia para a Agenda Digital, Neelie Kroes, advertiu que as empresas de TIC com actividade na Europa precisam de poder recrutar as pessoas certas,  sob pena de transferirem as suas operações para outras regiões –  no seu discurso durante o Fórum Económico Mundial, em Davos. “O hiato nas competências digitais está a crescer, tal como as filas de desempregados. Precisamos de uma acção conjunta entre os governos e as empresas para preencher essa lacuna”, disse Kroes.

Para a responsável, o sector das TIC é a espinha dorsal da nova economia na Europa. “Juntos podemos evitar uma geração perdida e uma Europa não competitiva”, considerou.

A Comissão pretende resolver o problema usando acordos com empresas, parceiros sociais e agentes de formação no sentido de criarem novos empregos, estágios, e locais de formação. A obtenção de financiamento para start-ups também está entre os objectivos da comissária.

Já se comprometeram com a estratégia, empresas como a Nokia, a Telefónica, a SAP, a Cisco, a HP, Alcatel-Lucent, Randstad, a ENI, Grupo Telenor, ARM. Também como a comunidade de CIO europeus, a  CEPIS (Council of European Professional Informatics Societies)  e a Digital Europa também querem ajudar.

A Comissão pretende criar uma coligação para a promoção de competências digitais e postos de trabalho, numa conferência entre a 4 e 5 de Março. A conferência é aberta a todos os que querem apoiar activamente a causa.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado