Sucesso das OPV tecnológicas é tão provável na Europa como nos EUA

O mito de que as oportunidades são menos favoráveis ​​na Europa está a prejudicar desnecessariamente os investimentos.

Há uma percepção generalizada de que a Europa se atrasou perante os EUA no que diz respeito ao financiamento do empreendedorismo, mas um novo relatório revela que empreendimentos de tecnologia europeus são igualmente propensos a resultar numa bem sucedida operação pública de venda (OPV ou  IPO, na sigla em inglês) como as dos EUA.

O estudo “European Venture Capital: Myths and Facts“, realizado pela London School of Economics para o British Private Equity and Venture Capital Association (BVCA), abrangeu 35 mil empresas que receberam investimentos de capital de risco entre 1980 e 2011.

Enquanto o capital de risco nos EUA tem tido substancialmente mais sucesso no agregado – 38,8% tinham tido uma saída bem sucedida ao longo de todo o período em comparação com 25,3% na Europa – grande parte da diferença nas taxas de sucesso deveu-se a diferenças no momento do investimento.

Ao comparar as taxas de sucesso dos investimentos feitos no mesmo ano, a diferença estimada na probabilidade de sucesso entre os EUA e a Europa desce de 16,6 para 9,1%.

Se o sucesso é definido apenas como sair através de uma OPV, a diferença entre os EUA e a Europa no mesmo ano desaparece completamente. Toda a diferença deve-se a uma menor probabilidade na venda – a Europa tem uma probabilidade de cerca de 8% menos de saída através de vendas do que os EUA.

“Vezes sem conta, ouvimos a indústria denegrida como aquém dos nossos primos nos EUA. Quantas vezes não ouvimos o grito desesperado de ‘onde está o Facebook europeu’ sem ouvir um reconhecimento contrastante dos muitos sucessos de empresas europeias que floresceram em resultado de investimento de risco?”, refere Richard Anton, sócio da Amadeus Capital. “Esta é a triste ironia: os mitos a que nos agarramos para prejudicar as nossas chances de crescer nos negócios que podem dissipar esses próprios mitos”.

O relatório conclui que os empresários bem sucedidos em série tendem a ter um bom desempenho tanto na Europa como nos EUA, o que ajuda a explicar a diferença nas taxas de sucesso entre as duas regiões, já que os empreendedores em série na Europa representam menos de metade dos existentes nos EUA.

A experiência dos investidores de risco (VC, de “venture capitalist”) também está fortemente relacionada com o sucesso, o que é uma boa notícia para a Europa pois a experiência de VC na Europa aumentou no último par de anos.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado