Empresas vão vender dados para cobrir custos

Para recuperar o investimento de tecnologias associadas a Big Data, muitas empresas deverão rentabilizar os seus activos em dados. A conformidade com vários regulamentos deverá tornar-se um problema.

Até 2016, o custo de armazenamento e gestão de dados e informação associadas ao  Big Data levará quase um terço das empresas a procurar rentabilizar esses dados, diz o analista da Gartner, Doug Laney.  A “falta de experiência” na gestão do fluxo de Big Data, e o desenvolvimento de produtos de informação para essas empresas, deverá criar uma oportunidade para intermediários especializados. Serão quase como “corretores de informações ou revendedores”, explica o analista da Gartner.

“A necessidade de justificar a despesa de acumulação e gestão de grandes volumes de dados tem levado muitas organizações a considerarem a rentabilização e produtização dos seus activos de informação”, afirmou Laney. A IDC prevê que o mercado de tecnologia e serviços relacionados com Big Data deverá crescer a uma taxa anual 31,7% – cerca de sete vezes a taxa do mercado das TIC.

O estudo “Worldwide Big Data Technology and Services 2012-2016 Forecast” mostra que as receitas ligadas ao Big Data atingirão perto de 23,8 mil milhões de dólares em 2016. Diz também que haverá uma escassez grande de profissionais habilitados para lidar com as questões de Big Data nas empresas.

Contudo, Laney avança que algumas empresas já estão a agir no sentido de obter o máximo a partir dos seus activos de informação. “Por exemplo, diversos retalhistas já estão a gerar milhões de dólares por ano em incrementos de receitas, colocando on-line os dados sobre pontos de venda entre outros, disponíveis para parceiros de negócios”.

E segundo Laney, “outras organizações estão a vender dados publicamente disponíveis ou lançam novos produtos baseados em informações dos mercados financeiros”. Apesar disso, muitas empresas estão mal equipados para desenvolver e introduzir produtos baseados em informações, disse a Gartner.

E por isso deverão surgir “revendedores de informação”cujo objectivo será ajudar as organizações a desenvolverem e executarem estratégias de informação para a rentabilização dos activos.  A consultora antecipa o aparecimento de “gestores de informação de produto” para liderar esses esforços internamente nas empresas.

As novas oportunidades de rentabilização de dados levará os fornecedores ao lançamento de novos produtos baseados em cloud computing capazes de recolher dados de localização, de utilização e sobre o sistema usado para revender aos subscritores dos serviços de informação, diz o analista da Gartner.

Laney, considera que “os consumidores e as empresas devem reconhecer que seu uso pessoal de tecnologia, dados sobre a sua localização, o seu perfil e os dados de actividade têm um valor de mercado tangível. E deveriam proteger essa informação e garantir que quando a revelam, recebem em troca bons serviços, produtos ou dinheiro”.

Mas o analista também alerta para a necessidade de as empresas serem sensíveis aos riscos sobre a reputação, levantados por  reacção pública contra tais práticas. Esse tipo de ocorrência poderá levar a um ambiente mais restringido no plano regulamentar, considera.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado