Outro executivo sénior sai da Microsoft

Craig Mundie, chefe da Microsoft Research e um dos sucessores de Bill Gates na condução tecnológica da Microsoft, deixa a empresa em 2014.

Depois do anúncio de que Steven Sinofsky, o executivo encarregado do Windows 8, deixaria a Microsoft, sabe-se que Craig Mundie – um dos executivos mais talentosos e experientes da Microsoft, e chefe da Microsoft Research – também está de saída.

O seu afastamento foi divulgado na Microsoft num e-mail de Steve Ballmer datado de 14 de Dezembro, mas só se soube disso quando o All Things D tornou pública a história a 24 de Dezembro, e a Bloomberg logo a seguir reproduziu o memorando.

Craig Mundie manteve um perfil relativamente discreto durante muitos anos, mas a sua aparição numa reunião na Microsoft Research Asia, em Pequim, atraiu manchetes mundiais quando demonstrou um tradutor automático para mandarim. Mundie falou em inglês, e o seu avatar realista traduziu as palavras em mandarim, usando a sua própria voz. “Eu deveria ser capaz de me sentar no meu escritório, enviar o meu avatar para encontrar alguém em Pequim, falar em inglês e o meu avatar falar em mandarim em tempo real… Queremos que o computador funcione como um tradutor simultâneo”.

A sua partida é encarada pelo mercado como sinal (mais um) do fim de uma era na Microsoft. Quando Bill Gates anunciou o seu afastamento da Microsoft, em 2006, nomeou Craig Mundie e Ray Ozzie como herdeiros de tecnologia. Ray Ozzie foi nomeado arquitecto-chefe de software e o então director técnico da Microsoft, Craig Mundie, como chefe oficial de estratégia e investigação. Ozzie deixou a Microsoft há dois anos. (ver foto de 2006, com Bill Gates, Craig Mundie, Ray Ozzie e Steve Ballmer)

Ao contrário de Steven Sinofsky, Mundie nunca esteve na corrida para substituir Ballmer. Ele é sete anos mais velho do que Ballmer e não tem a personalidade e a presença de Ballmer. Mas ele é dos executivos mais experientes da Microsoft.

De acordo com o memorando interno, Mundie passará um ano como “conselheiro sénior do CEO,” e então vai-se reformar quando atingir os 65 anos em 2014. (Parece que a maioria dos executivos da Microsoft ganha sempre um ano a mais na folha de pagamento para descansar – pelo menos, tem sido assim desde Brad Silverberg e Jim Allchin. Cada um deles recebeu uma “licença de ausência” no final dos anos 90).

Eric Rudder vai substituir Mundie. Apesar do seu cargo, aparentemente, não ter mudado – a Microsoft ainda o lista como director de estratégia técnica -, Rudder já terá assumido as responsabilidades de chefe do Microsoft Research.

Há 10 anos, Rudder foi vice-presidente sénior e chefe de desenvolvimento. Foi chefe da divisão de servidores e ferramentas e também o arquitecto do Visual FoxPro 3. Isso diz muito sobre ele.
(InfoWorld/IDG Now!)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado