Três desafios na recuperação de dados em 2013

A maior utilização de drives SSD constituirá o maior desafio em 2013 nas operações de recuperação de dados de acordo com a Kroll Ontrack, empresa focada nesse segmento.

O suporte aos dados em drives de estado sólido (SSD), as estratégias de BYOD e a migração para novas plataformas empresariais constituirão os principais desafios na recuperação de dados durante 2013, de acordo com a Kroll Ontrack. Segundo a empresa especializada nessas operações, a mior utilização de drives SSD envolverá os principais problemas.

A previsão da empresa baseia-se no aumento da taxa de adopção de SSD, devido à redução de preço e a complexidade associada às drives. De acordo com a Kroll Ontrack, a recuperação de dados a partir de SSD é ainda altamente especializada e consome muito tempo. Isso deve-se à natureza complexa do armazenamento dos dados de no interior do dispositivo.

“Vimos um aumento significativo no uso de SSD em laptops e PCs. Esta tendência introduziu novas áreas de riscos para empresas e consumidores”, disse Todd Johnson, vice-presidente de operações da Kroll Ontrack. “Os SSDs são uma nova tecnologia, e muito poucos prestadores de recuperação de dados têm a capacidade de lidar com as camadas de RAID e SSD para juntar os dados em conjunto, em caso de falha”, acrescenta Jeff Pederson, gestor de operações de recuperação de dados Kroll Ontrack.

Pederson aconselha as organizações a tomar em consideração a possibilidade de perda de dado e a complexidade na recuperação de dados quando decidirem entre as SSD e tradicionais unidades de disco rígido.

Mobilidade cria dificuldades

A adopção de dispositivos móveis continuará a causar desafios em 2013, de acordo com a Kroll Ontrack, especialmente com introdução de mais tablets em ambiente de trabalho. A tendência BYOD (Bring Your Own Device) criou um influxo de pedidos de recuperação dados em dispositivos móveis durante 2012, diz a empresa.

Os pedidos de recuperação de dados desde discos  rígidos de 2,5 polegadas ou menores normalmente usados em laptops, tablets e telemóveis, aumentou de uma quota de 65% durante 2011 para 80%, em 2012. As organizações precisam de suportar a tendência BYOD e incluir a recuperação e destruição de dados nos seus planeamentos estratégicos principais, de acordo com um comunicado da empresa. Kroll Ontrack também acredita que a migração para novas plataformas de TI será um desafio para as empresas, especialmente se falharem na execução do backup dos seus dados.

A empresa citou o exemplo do Windows Server 2012 (anteriormente Windows Server 8) como o caso de uma plataforma que incorporou um novo sistema de ficheiros. Os novos sistemas apresentam desafios para empresas como a Kroll Ontrack porque a sua tecnologia é recente, relativamente desconhecida, e inexplorada por especialistas de recuperação de dados.

“A tecnologia continua a melhorar o seu valor acrescentado oferecido às organizações, mas os dados podem estar em risco durante a fase de transição, se as empresas não mantiverem backups eficazes”, alerta Johnson.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado