40% dos conflitos de patentes causados por empresas “trolls”

Relutantes em terem os processos resolvidos em tribunal, estas empresas preferem os acordos antes do julgamento.

Embora a Apple e a Samsung pareçam ser os principais intervenientes na batalha mundial das patentes, são mais as empresas que registam  invenções e tecnologias que não desenvolveram por si próprias, com a finalidade exclusiva de processar aqueles que as infringirem.
É o que diz um estudo recente nos Estados Unidos, que assinala que pelo menos quatro de cada 10 conflitos judiciais por violação de patente estão relacionados com as chamadas empresas “trolls”.
O termo refere-se às empresas que não desenvolvem a sua própria tecnologia nem têm a intenção de as comercializar de qualquer forma, mas simplesmente compram patentes para ganhar dinheiro quando alguém as infringe.
O relatório “Effects of Patent Monetization Entities on US Litigation” indica que essas empresas aumentaram em 22% a sua actividade judicial ao longo dos últimos cinco anos, e parecem estar relutantes em levar as suas queixas muito longe no processo, preferindo um acordo antes do julgamento.
Trata-se de especulação perniciosa ou de um negócio legítimo? Essa é sempre a questão subjacente a essas empresas. O que se sabe com certeza (graças a um estudo realizado pela Escola de Direito da Universidade de Boston) é que a existência desses “trolls” das patentes assumiu um custo de mais de 29 mil milhões de dólares para as empresas de TI nos EUA em 2011.
(Computerworld.es)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado