Ex-chefe do Facebook alerta para mudança de função de TI

Mike Leach afirma que o CIO assumirá cada vez mais o papel de integrador de sistemas. O cargo poderá mudar para “gestor de produto”, na sua opinião.

Mike Leach trabalhou como arquitecto de CRM e aplicações na Facebook  até Agosto do corrente ano e faz um alerta aos seus colegas: o papel do departamento das TI está a encolher.

Leach comentava sobre o discurso do CEO da Salesforce, Marc Benioff, e no evento Dreamforce Salesforce, em São Francisco. Este responsável citou dados da Gartner segundo os quais os diretores de marketing vão gastar mais em TI por volta de 2017 do que os CIO.
“É controverso a prever obsolescência do departamento das TI dentro de vinte anos. No entanto, é preciso pelo menos reconhecer que a tendência é uma realidade”, disse Leach.
“O papel das TI vai re-emergir, mas vai ser mais como integrador de sistema. Será a função principal que as organizações terão de manter e o título de CIO deverá mudar para qualquer coisa como o de gestor de produto”.
O ex-responsável da Facebook acrescenta ainda: “As linhas de negócio vão gravitar para onde eles vêem potencial de sucesso. Se preverem algum sucesso no mercado com uma empresa, vão aplicar-se na iniciativa. O departamento de TI precisa de perceber onde essas tendências e oportunidades de sucesso vão ocorrer e tornarem-se uma influência na direcção para onde o negócio deverá evoluir”.
Os comentários de Leach foram feitos durante um painel de discussão sobre se as empresas devem desenvolver as suas próprias aplicações personalizadas usando a plataforma da Salesforce. Ou se devem adoptar aplicações do AppExchange.
O vice-presidente da consultora The Advisory Board Company (ABC), Steve Mandelbaum, descreveu como ele implantou a pa Salesforce para mais de 1300 utilizadores activos: a empresa está a desenvolver uma série de aplicações personalizadas.
O responsável advertiu que nos caso de se optar por comparque outras empresas que, se optar por comprar as aplicações, não deve presumir a qualidade do suporte do fornecedor, como garantida.
“Supõe-se que um fabricante vai dar suporte se comprarmos a aplicação. Isso é verdade se o fabricante for bom nos serviços de suporte, mas se não for então estamos mesmo em apuros está realmente em apuros, porque não se sabe como vai funcionar”, considerou Mandelbaum.
“Nós compramos sistemas no passado e o fabricante não dava um bom suporte, e ficámos de mãos amarradas. Ficámos numa situação pior do que se tivéssemos desenvolvido as aplicações”, garantiu ainda.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado