Sites lentos ou em manutenção são os mais irritantes

A frustração com sites de empresas representaram mais de dois terços dos problemas que levaram os utilizadores a acederem a um site da concorrência.

Um inquérito feito pela 1&1 Internet mostrou que as pessoas ainda ficam irritadas quando não conseguem aceder ao site de alguma empresa porque está “em manutenção”. Os consumidores esperam que os sites estejam disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana, para fazer compras, pagar contas e navegar.
O fornecedor de hospedagem de sites descobriu que quase 40% dos 1.500 britânicos inquiridos não utilizaria novamente uma empresa se o seu site estivesse com problemas. Quase 45% são mais intolerantes com erros em sites actualmente do que eram há cinco anos atrás.
Dos entrevistados, uns surpreendentes 71% estão constantemente a deparar-se com sites com defeitos. Cerca de 60% disse ver grandes variações na fiabilidade dos sites que visita. Eis os cinco problemas mais comuns:
1 – Sites lentos (71%)
2 – Sites em manutenção (49%)
3 – Links quebrados (44%)
4 – Pedidos online congelados (44%)
5 – Páginas Web com problemas (42%)
As frustrações com os sites de empresas representaram mais de dois terços dos problemas que fizeram os entrevistados acederem ao site de um concorrente. As pessoas têm também mais dúvidas sobre se uma compra online foi concluída com sucesso: 44% disseram ter sido afectados por isso.
Oliver Mauss, da 1&1, diz que “sites não fiáveis continuam a reflectir-se negativamente sobre negócios de todos os tipos e tamanhos. É óbvio que quando se deparam com sites fora do ar ou com problemas, os consumidores procuram outros caminhos”.
“Talvez o mais surpreendente seja a proporção dos que estarão dispostos a voltar. Com isto em mente, as empresas devem garantir que os seus sites são bem desenhados e possuem uma funcionalidade robusta, bem como se beneficiam da infra-estrutura de hospedagem o mais confiável e veloz possível”, concluiu.
Para isso, há que verificar constantemente se o site possui erros (o recurso Webmaster Tools, da Google, faz isso) e preencher os formulários, carrinhos de compra e outros conteúdos de interacção para se certificar de que estão a funcionar correctamente.
Cada vez mais os consumidores visitam sites usando smartphones ou outros dispositivos móveis, pelo que mesmo que não se possua uma versão móvel do site, deve-se pelo menos verificar se tudo aparece apropriadamente num smartphone ou num tablet, assim como em vários browsers de desktops.
(IDG News Service/IDG Now!)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado