eBay quer clientes a falharem depressa

A eBay já não é uma empresa de leilões de baixo preço e muitas das suas operações baseiam-se em soluções de Business Intelligence levadas ao extremo.

A eBay é uma empresa afastada das suas raízes. Criada em 1995, a empresa californiana é agora um conjunto de diferentes companhias, está nos leilões mas “não tocamos nos bens leiloados” e as taxas sobre os leilões é residual, explicou Darren Bruntz, director sénior da plataforma analítica da eBay no evento MicroStrategy World 2012, que decorre esta semana em Amesterdão, na Holanda.
A geração de receitas pelos leilões baixou para os cêntimos desde 2009, quando em 2007 atingia uma média de quase cinco dólares, por transacção.  E “os bens de preço fixo lideram, não são os leilões – que é a ideia geral”, afirmou.
Mas se há algo que a empresa tem é a sua predominância nos exemplos das organizações que gerem enormes quantidades de dados. A análise de Big Data é essencial  para o negócio, apesar de o cliente só ver que, quando escolhe um item, ele pode passar de uma oferta de centenas de exemplares para umas poucas dezenas, após uma pequena alteração nas suas características. “É a analítica a trabalhar”, explica Bruntz.
A eBay tem 50 mil categorias de produtos, 300 mil itens activos, mais de 100 milhões de utilizadores activos, gera 2000 milhões de páginas Web e 50 terabytes por dia. Também diariamente, são processados 100 petabytes, com um terabyte tratado a cada segundo.
O objectivo é manter os 99,9% de acessibilidade dos sites, 24 horas em todas as semanas do ano, em quase tempo real. “Sabemos como o fazer em tempo real mas é caro”, esclarece.
Esse é um dos problemas mas ele salienta a questão de que “85% da carga de trabalho analítica é nova e desconhecida” e, assim, “as métricas que conhecemos não chegam”. Para manter a agilidade do negócio, têm de garantir que “o cliente falhe depressa”, num processo que regista a informação do cliente, produtos, transacções e comportamentos.
No campo do hardware, a empresa analisa a eficiência em termos de custos perante as unidades de processamento. “É preciso ter em atenção que o custo pode disparar mas a eficiência na mesma proporção”.
Internamente, a eBay dá escolha aos utilizadores porque, refere Bruntz, “programadores e analistas  não concordam com as mesmas tecnologias, é a usabilidade que lhes interessa e é o que têm”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado