Managed Services

Porque é que os Managed Service Providers (MSP) podem ajudar as empresas a desenvolver o seu negócio? Vasco Afonso, Solutions Architect Manager & Service Manager da Claranet Portugal, responde à questão.

No mundo actual, as tecnologias de informação tornaram-se ferramentas essenciais, transformando não só os modelos de negócio, mas a forma da sociedade se relacionar. As infra-estruturas tecnológicas, permitem às organizações de uma forma geral, atingir ou mesmo superar os seus objectivos, gerando uma maior flexibilidade e rentabilidade. Porém, apenas a gestão adequada destas tecnologias de informação garantirá às organizações o respectivo retorno do investimento na tecnologia e dar-lhes-á a capacidade de se distinguirem dos seus pares.
Neste aspecto, a evolução da tecnologia, em particular nos sistemas de informação, tem tido um papel crucial. Actualmente estão presentes em praticamente todos os processos de negócio tornando as empresas cada vez mais ágeis e dinâmicas. Por outro lado, a crescente complexidade das infra-estruturas e aplicações é também uma realidade que dificulta e aumenta o nível de exigência de gestão e operação.
À semelhança das grandes empresas, as empresas de menor dimensão necessitam da tecnologia para operarem eficientemente e competirem com eficácia. Mas à medida que a dependência sobre os sistemas de TI evolui, o mesmo não acontece com os recursos para suportar uma infra-estrutura de TI em crescente complexidade. Na maioria das pequenas empresas, os recursos de TI são escassos e podem rapidamente ficar sobrelotados com as tarefas e responsabilidades diárias para manter uma infra-estrutura de TI sempre disponível.
Negligenciar algumas tarefas, como backups, actualizações e a segurança de uma infra-estrutura, aumenta exponencialmente o risco de mais tarde se deparar com um problema que terá um impacto negativo no negócio.
Durante vários anos a única resposta a este desafio foi o recurso a serviços de consultoria externa (outsourcing), mas é neste contexto que os MSP têm vindo a obter um papel de crescente importância.
O que é um MSP? Um MSP poderá assumir a responsabilidade de gerir, monitorar, detectar e resolver problemas para um conjunto específico de sistemas de TI ou mesmo a totalidade da infra-estrutura.
Os MSPs actuam como uma extensão dos departamentos de TI e asseguram a gestão de activos, alertas, securização, gestão de alterações, backup e recuperação de dados para diferentes sistemas, desktops, notebooks, servidores, sistemas de storage, gestão de redes e aplicações, libertando as empresas das rotinas de gestão de uma infra-estrutura de TI, permitindo-lhes focar no seu negócio. Através de uma manutenção e monitorização proactiva, um MSP consegue evitar a ocorrência de vários problemas, e mesmo nos casos em que os problemas ocorrem, um MSP experiente poderá ajudar a diagnosticar e a resolver o mesmo de forma rápida e eficiente.
Os MSPs poderão ser empresas de alojamento (hosting) e/ou de acesso (ISP) que oferecem serviços que incluem a gestão global da infra-estrutura de rede, sistemas avançados de telefonia, call centers, messaging, servidores, redes privadas virtuais (VPNs), firewalls, monitorização e reporting, etc…
Nos dias de hoje, devido ao crescente número de ferramentas de controlo e encriptação, a gestão e suporte da maioria destes serviços poderá ser prestada a partir do exterior das redes privadas das empresas, sem comprometer a segurança dos dados e aplicações.
Porquê um MSP? Porque é mais barato do que as restantes alternativas, mas além de ser mais barato, a infra-estrutura de TI é gerida de forma eficiente por profissionais que realizam as tarefas de operação seguindo as boas práticas e dispõem de mecanismos eficazes de monitorização e alarmística que permitem a antevisão e resolução de possíveis problemas de forma pró-activa diminuindo de forma considerável o risco de quebra de serviço ou interrupção de processos críticos de suporte ao negócio. Tudo isto é realizado por uma equipa disponível 24 horas por dia, sete dias por semana, 365 dias por ano, sem férias, ou ausências de outra natureza.
São vários os argumentos que valorizam um MSP, contudo um dos mais atractivos será porventura a nível financeiro, nomeadamente pelo facto de permitirem uma redução do Custo Total de Propriedade (TCO). Os MSPs tipicamente fornecem os seus serviços com base numa subscrição mensal. Dependendo dos serviços prestados, os valores normalmente variam com base no número de equipamentos, e existem diferentes níveis de preços mediante a dimensão das infra-estruturas.
Trata-se de um modelo cada vez mais apetecido pelas organizações, pois permite controlar com maior rigor os custos de operação e poderá eliminar a necessidade de investimentos inesperados na infra-estrutura de TI, permitindo canalizar o capital para o desenvolvimento do próprio negócio.
Num processo de contratação, tipicamente, é realizada uma verificação inicial da infra-estrutura de TI e são definidos os requisitos de gestão que ajudam as empresas a decidir o âmbito e níveis de serviço a contratar.
Existem diferentes níveis de serviço, desde o serviço de monitorização que apenas notifica sempre que detectado um problema até ao topo da pirâmide em que os MSP asseguram a operação total, desde os alertas até à resolução total de incidentes.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado