Nexus não resolvem problemas do Android

Falta-lhes aplicações atractivas e conteúdo optimizado para o tablet Nexus, e existem outros problemas segundo a Ovum.

A consultora Ovum afirma que a Google não resolveu o maior desafio existente para o Android. Além disso, considera haver outros desafios significativos em todo o portefólio de dispositivos, muito longe de serem resolvidos.
O analista-chefe da Ovum para a área das telecomunicações, Jan Dawson, disse que tal como o Kindle, da Amazon , o Nexus 7 dá prioridade ao conteúdo. Mas carece de aplicações atractivas e conteúdo optimizado para o tamanho do seu ecrã de de 7 polegadas.
“À escala das sete polegadas, este problema é menos agudo e a Google não disse nada sobre como o vai solucionar”, afirma. Além disso, Dawson disse que o preço do tablet não é sustentável, no longo prazo, pois actualmente o valor beneficia de alguma subsidiação.
“No entanto o Nexus 7 é um passo importante na estratégia da Google para tablets Android, ao romper com a dicotomia existente actualmente entre os dispositivos de preços baixos e de desempenho reduzido e aqueles mais caros, com especificações mais sofisticadas “, considerou.
Para Dawson, o Nexus Q coloca também alguns desafios. Segundo o mesmo, é muito semelhante à Apple TV, lançada em 2007: um dispositivo que encamina o fluxo de conteúdos disponibilizados a e partir de uma plataforma de cloud computing. Mas com a Apple TV a ser vendida por 99 dólares e com muitas mais funcionalidades, incluindo a replicação de ambientes de smartphones e de tablets, há pouca esperança para  o Nexus Q.
“A decisão da Google de fabricar o dispositivo nos Estados Unidos pode ser uma operação de relações públicas auto-destrutiva, dado ser a razão mais lógica para um preço tão inflacionado (299 dólares),” sustenta Dawson. No entanto, Dawson afirma ainda que a última versão do Android, o “Jelly Bean” inclui algumas boas melhorias: destacam-se um concorrente do Siri (da Apple) e um novo serviço chamado Google Now. Este usa inteligência artificial para fornecer informação relevante e contextualizada para um utilizador.
“O anúncio da Google de que iria começar a disponibilizar uma plataforma de desenvolvimento para fornecedores de hardware, vários meses antes de a plataforma ser lançada para os utilizadores, é a primeira tentativa séria da empresa para reduzir  a fragmentação e os longos atrasos na colocação da versão mais recente do Android em dispositivos “, acrescentou.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado