PT vai testar roaming em Wi-Fi

A Wi-Fi Alliance estabeleceu as bases para a normalização dos serviços ao apresentar o programa de certificação Passpoint.

Já no quarto trimestre do ano, um conjunto de operadores, entre os quais a PT, deverá começar a testar serviços de roaming  sobre Wi-Fi, de acordo com a Wi-Fi Alliance. Esta organização já iniciou a certificação de produtos que simplificam o acesso a hotspots e roaming entre diferentes operadores de serviços móveis.
Os operadores de comunicações móveis vêm as redes Wi-Fi como uma forma de descarregarem o tráfego das suas redes, lidando melhor com o crescimento dos volumes de dados. A tecnologia já é usada por operadores em todo mundo.
Mas o trabalho em curso visa levar a utilização da tecnologia para um novo patamar. Os utilizadores serão capazes de se autenticarem com um cartão SIM e “transitarem” entre redes de comunicações móveis e pontos de acesso Wi-Fi de diferentes fornecedores, tanto no seus país como no estrangeiro.
A liderar essa evolução está a Wi-Fi Alliance. Esta terça-feira, a organização anunciou que tinha iniciasdo a referida certificação como parte do programa Passpoint, baseado na tecnologia definido na sua especificação Hotspot 2.0.
O programa de certificação é um marco importante para a tecnologia Wi-Fi. Há agora, finalmente, uma solução única para toda a indústria de suporte ao acesso a comunicações Wi-Fi  por banda larga móvel, de acordo com a Wi-Fi Alliance.
Os dispositivos móveis certificados móveis podem descobrir automaticamente e ligar-se a redes Wi-Fi alimentadas por pontos de acesso, também aprovados. Os primeiros produtos a serem certificados incluem pontos de acesso, controladores e dispositivos clientes da  Belair Networks, detida pela Ericsson, da Broadcom, da Cisco Systems, da Intel, da Marvell, da MediaTek, da Qualcomm e da Wireless Ruckus.
Mais tarde,  a Wireless Broadband Alliance (WBA), juntamente com uma séreide de operadores deverá realizar ensaios durante o quarto trimestre, para confirmar se funcionam conforme o esperado.
Um primeiro conjunto de testes foi organizado no início deste ano.  E os primeiros serviços comerciais estão previstos para  o primeiro semestre do próximo ano, de acordo com a WBA.
A segunda ronda de testes deverá abordar aspectos mais complicados, incluindo procedimentos de cobrança de serviços entre operadores – quando os utilizadores estiverem em roaming. Será definido também como os dispositivos deverão escolher um rede de WiFi  quando mais do que uma  estiver disponível, segundo Tiago Rodrigues, director de programa na WBA.
“Podem ser usadas diferentes métricas. Provavelmente, o mais comum será usar o critério da qualidade da banda. Os dispositivos terão inteligência para fazer uma avaliação inicial e perceber  que hotspot pode oferecer o melhor serviço”, explica Rodrigues.
A tecnologia para fazer essa avaliação ainda está em desenvolvimento.  E os primeiros protótipos de clientes capazes disso serão utilizados durante os testes, de acordo com Rodrigues.
A maioria dos operadores deverá e para testar métodos de autenticação baseados em cartões SIM. Mas também haverá testes de interoperacionalidade com outros métodos baseados em Extensible Authentication Protocol (EAP) – para dispositivos como câmaras e tablets, sem os referidos cartões.
Ensaios de aperfeiçoamento
Os ensaios previstos para o quarto trimestre têm vários objectivos. Deverão permitir que os operadores para obtenham mais experiência com a tecnologia , conforme preparam serviços comerciais.
Pretende-se também descobrir aspectos com necessidade de serem melhorados e aperfeiçoados por organizações como a Wi-Fi Alliance e a GSM Association, explica Rodrigues.
Trinta e sete operadores e 24 fornecedores de tecnologia  participarão nos ensaios, de acordo com a WBA.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado