Muitos dos novos domínios de topo vão falhar

Se alguns domínios como .pharmacy apresentam benefícios óbvios, outros não têm modelos de negócio óbvios.

Várias questões permanecem após a ICANN revelar a lista com os 1.930 pedidos de novos domínios genéricos de topo (gTLD) na semana passada.
Enquanto alguns dos novos gTLDs resultarão em negócios bem sucedidos, muitos outros não, dizem analistas. Como a ICANN começa a avaliar os pedidos a partir 12 de Julho, haverá perguntas sobre os planos de negócios de alguns candidatos, bem como sobre a capacidade técnica para operar um novo domínio.
O processo de requisição “quase parecia uma corrida ao ouro”, disse Richard Stockton, advogado da Banner e Witcoff, especializada em propriedade intelectual.
Alguns dos novos gTLDs terão benefícios. O .pharmacy, por exemplo, pode ajudar a eliminar a venda de drogas falsas – mas outros não têm modelos de negócios óbvios, diz Erin Hennessy, da Bracewell e Giuliani.
Por outro lado, os .biz e .info, lançados em meados de 2001, “nunca pegaram”, disse ela. Há cerca de 2,2 milhões de domínios secundários .biz e 6,5 milhões em .info.
“Agora estamos a adicionar .inc e .llc”, diz Hennessy. “Não tenho a certeza se são tão diferentes de .biz e .info. Pergunto-me como vão ser realmente usados”.
Hennessy questiona se as empresas vão fazer algo substancialmente diferente com os novos gTLDs que não fazem com os seus sites em .com.
Planos inovadores
O analista da Forrester Research, Jeff Ernst, porém, espera alguns planos de negócio inovadores. “Mas vai levar algum tempo”, disse. Ele espera que alguns gTLDs falhem. “Terão provavelmente a mesma taxa de sucesso como qualquer novo empreendimento”, prevê. “Um certo número irá falhar porque o mercado interpretou mal, ou não conseguiu apoio suficiente”.
Muitas empresas inscreveram-se para dezenas de gTLDs e a startup Donuts para mais de 300, e essas empresas parecem estar a apostar na força dos números.
“Para eles, se três de 10 forem bem sucedidos, outros três empatarem, e outros quatro não, compensa”, disse Ernst.
Candidatos a um registro aberto como .food vão ter muita competição, disse Ernst. Mas os novos gTLDs podem não precisar de “volumes enormes” como há no .com para ter sucesso.”Só têm de ter um fluxo de lucro suficiente de uma comunidade em torno desses termos de nicho”, afirma.
Ernst minimizou as preocupações de que alguns candidatos não terão a capacidade técnica para executar um registo. A ICANN irá fazer o trabalho de limpeza, diz.
Outros candidatos sem experiência provavelmente farão parcerias com operadores de registo como a VeriSign e a Neustar, disse.
“Qualquer pessoa com alguma inteligência vai usar um terceiro prestador de serviço de registo, para gerir toda a infraestrutura de tecnologia”, acrescentou.
Os compradores de domínios nos novos gTLDs terão de avaliar os operadores e decidir se vale a pena investir dinheiro para colocar sites neles, Ernst disse.
Disputa apertada
No curto prazo, uma outra questão a observar é a competição pelos gTLDs. A ICANN anunciou que existem pelo menos dois candidatos para 231 termos. Por exemplo, .app tem 13 candidatos, incluindo a Amazon e a Google, .house tem 11 candidatos e .art tem 10.
Há também múltiplos requerentes para .book, .llc., .inc, .music, .baby e vários outros. A Google e a Amazon estão ainda a competir em 21 termos, como .game, .movie, .shop e .search.
Haverá um monte de negociações entre os candidatos conforme o processo de avaliação da ICANN se desenrola ao longo dos próximos meses. Alguns podem concordar em desistir de um domínio em troca de outro.
As negociações podem gerar “muita intriga e talvez algumas lutas judiciais entre os concorrentes”, disse DelBianco.
Em última análise, esses gTLDs podem ser leiloados se os requerentes não chegarem a acordo. “A ICANN adoraria ter a Amazon e o Google apresentando lances cada vez maiores”, acrescentou Stockton.
(IDG News Service/IDG Now!)


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado