Fundação Everis com IST e Cotec

Protocolo com Instituto Superior Técnico a assinar nos próximos dias, enquanto com Cotec vai demorar mais algum tempo. Em Espanha, empresa revela resultados e alarga operações ao sector aeroespacial e de defesa.

A fundação Everis está prestes a estabelecer um protocolo com o Instituto Superior Técnico (IST) para, em regime “pro bono”, disponibilizar 200 horas de consultoria no apoio à comercialização e aproximação a empresas de tecnologias de ideias desenvolvidas pela instituição académica. O objectivo é fazer “o ‘matching’ entre as ideias e as empresas” que as podem comercializar, explicou Brandão de Vasconcelos, CEO da Everis em Portugal, num encontro hoje com jornalistas. Um outro acordo com a Cotec está ainda a ser negociado.
No nosso país, segundo este responsável, a filial da empresa espanhola tem um “número bastante razoável de projectos” e a “tendência é de aumento”, apesar de reconhecer que “o mercado de TI em Portugal está a atravessar um mau momento, com as empresas a adiarem, a não fazerem ou a espremerem os preços”.
Resultados positivos
A empresa revelou ter facturado 565 milhões de euros no ano fiscal que terminou a 31 de Março, um aumento de 12% relativamente ao ano anterior.
Os resultados são considerados como “muito positivos” pela empresa, com a divisão de consultoria estratégica e de negócio a conseguir 10% da facturação total. Continuam a ser os projectos de outsourcing os que sustentam o negócio da Everis, sendo responsável por 55% dos lucros da consultora. Os restantes 35% correspondem a projectos de transformação baseados no uso das tecnologias de informação.
Por áreas geográficas, a companhia registou no mercado espanhol uma facturação de 377 milhões de euros, um aumento de cerca de 10%, número que confirma a consolidação da Everis entre as primeiras consultoras daquele país. Quanto ao mercado internacional, obteve 187 milhões de euros, quase 20% mais do que no ano passado.
Segundo a empresa, a consolidação da actividade da empresa em Espanha e o bom comportamento dos seus escritórios na América Latina foram os factores fundamentais para este crescimento, junto com a diversificação do negócio tradicional, bem como a aposta em novos mercados como Estados Unidos, Reino Unido, Bélgica e Perú.
Os sectores da banca e seguros (38%), as empresas de telecomunicações (28%) e a Administração Pública (19%) são as três áreas com mais peso na actividade da consultora, seguidas pela indústria e energia, com 10% e 5% respectivamente.
Expectativas para 2012-2013
Diversificação. Esta é a palavra-chave do Plano 2013 da Everis, que estabelece a estratégia a curto prazo da empresa. Assim, a Everis iniciou a criação de novos negócios que complementam a oferta de valor da consultoria tradicional.
Nesse sentido, iniciou operações no sector aeroespacial e de defesa, com a abertura de uma divisão especializada nestes projectos e mantêm a sua aposta na mobilidade, eficiência energética e na manutenção das TIC para as médias empresas, explicou a empresa.
Esta mantém o seu compromisso com a criação de um fundo de investimentos do grupo, Fitalent, dotado com cinco milhões de euros, e que já investiu em duas empresas, Azurebio e Nube3d.
Quanto às previsões económicas para o próximo exercício fiscal, a consultora confia que deverá continuar a crescer ao ritmo de dois dígitos, tanto em facturação como em lucros.
(com Computerworld.es)


Tags


Deixe um comentário

O seu email não será publicado