Windows 8 conseguirá sobreviver na era pós-PC?

O Windows Phone não conseguiu descolar e a nova versão do sistema operativo da Microsoft pode chegar tarde demais ao mercado.

Quase um ano e meio após o seu lançamento, a Microsoft ainda está a tentar ganhar terreno com o Windows Phone. As coisas estão complicadas e um relatório recente da Nielsen apontou que a quota de mercado da plataforma é tão pequena nos EUA que a empresa nem a especificou no estudo – foi para a categoria “Outros”. Mas, pelo menos, o Windows continua a liderar como sistema operativo para desktops.
Como sistema operativo para computadores, o software dominou o mercado durante décadas mas, entretanto, há uma mudança notável. O mundo pós-PC está a deixar o plano das ideias, transformando-se bem à frente dos nossos olhos nas casas, aeroportos e escritórios. Dispositivos constantemente ligados (basicamente smartphones e tablets) funcionando com o iOS e o Android estão a consumir rapidamente o espaço dos PCs com o Windows.
Um estudo da IDC reforça essa teoria. Os dispositivos inteligentes para consumidores e empresas devem ultrapassar os 1,100 milhões de unidades em 2012, e chegar até aos 1,840 milhões em 2016, o dobro do número de 2011, de acordo com a empresa.
A conclusão do relatório é que os chips x86 compatíveis com Windows (como aqueles presentes nos desktops) sofrerão um golpe tremendo entre este ano e até 2016, e o sistema operativo móvel da Google irá emergir com toda força no mesmo período. Embora a quantidade de equipamentos com Windows deva aumentar nesse período, a quota de mercado de PCs em relação a todos os outros dispositivos irá cair quase 11%.
Ultrapassagem
De acordo com a IDC, o Windows em todos os dispositivos será ultrapassado pelo Android em quatro anos, e perderá espaço para o iOS da Apple. Ou seja, não se está muito longe do momento em que tablets e smartphones começarão a tornar-se aparelhos dominantes, enquanto os tradicionais desktops serão colocados cada vez mais para trás.
A pior notícia para a companhia de Redmond é que a IDC afirmou que os tablets com Windows 8 terão um impacto mínimo nos próximos quatro anos. O Windows 8, que ainda não foi lançado oficialmente (apenas a versão Preview está disponível para os consumidores), foi desenvolvido para equipamentos com ecrãs sensíveis ao toque, como os tablets, mas manterá a funcionalidade em desktops e laptops.
A nova versão do sistema operativo foi criada para manter o Windows vivo no ambiente móvel, pelo que os números da IDC não se aplicam perfeitamente. Diferente das outras edições, o Windows 8 não está a mirar os departamentos empresariais, já que o Windows 7 mal chegou às empresas.
Este é um sistema operativo voltado para o consumidor e é nesse público que a empresa confia para conquistar espaço a partir dos tablets e smartphones, e chegar ao ambiente corporativo através das iniciativas BYOD (sigla para traga o seu próprio dispositivo, em inglês), aponta Aaron Suziki, CEO da Prowess, empresa de consultoria e gestão de serviços de TI que fornece tecnologias de desenvolvimento e virtualização de sistemas operativos. “A Microsoft sabe que as empresas não estão prontas para o Windows 8”, afirma Suzuki.
(CIO/IDG Now!)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado