Quatro recursos a integrar no iPad 4

Modelo mais recente do iPad não trouxe tudo o que era esperado, apesar das novidades. Saiba o que deveria ser incluído na próxima versão, na opinião de Brad Reed, da Network World.

Apesar de a Apple ter lançado há pouquíssimo tempo o novo iPad, nunca é cedo demais para começar a pensar sobre o futuro, ou seja, o iPad 4. Por mais impressionante que o dispositivo pareça, a empresa deixou um gosto de “quero mais” entre os seus consumidores. Mesmo trazendo novidades como o Retina Display e suporte à ligação 4G LTE, muitos desejos dos utilizadores ficaram de fora da lista. Conheça alguns dos recursos que gostaríamos que a próxima geração do tablet trouxesse:
1. Siri
O novo iPad possui suporte para comandos de voz, e isso é muito bom. Mas isso compara-se realmente a ter um assistente pessoal capaz de aprender os seus padrões de voz e produzir respostas baseadas no tom de voz normal do utilizador? É excelente termos um tablet que possui ferramentas de ditado, porém também gostaríamos que esse aparelho fornecesse rotas, marcasse compromissos e fosse responsável por outros aspectos importantes das nossas vidas.
2. Uma “dock” com teclado
Mesmo que o iPad se torne realmente o símbolo da era pós-PC, ele poderia utilizar algumas capacidades do computador pessoal. É por isso que gostaríamos de ver a Apple seguir o caminho de algumas empresas como a Asus e a Novera e oferecer uma “dock” de laptop opcional para o iPad, que permita utilizar o aparelho como se fosse um computador.
Apesar de as chances de a companhia fazer isto serem pequenas, especialmente porque equipamentos híbridos do tipo PC/tablet ainda não são muito comuns no mercado, seria um bónus muito interessante, principalmente no mundo corporativo.
3. Versões menores e mais baratas
O tamanho do iPad não é necessariamente mau, visto o sucesso do produto no mercado, pelo que a Apple não tem razão para o alterar. Ao mesmo tempo, não dá para negar que tablets com ecrãs de sete polegadas possuem vantagens distintas, principalmente pela habilidade de os guardar em bolsas ou mesmo em casacos. E ainda que a Apple não tenha sofrido financeiramente ao manter os preços que sugeriu desde o início, não há dúvidas de que um tablet de 300 dólares da empresa iria vender assustadoramente e acabaria com todas as chances do Kindle no mercado.
4. Conectividade Wi-Fi 802.11u com suporte para Certified PassPoint
Isto seria uma novidade e tanto, já que o PassPoint foi anunciado há pouco tempo pela Wi-Fi Alliance, porém não houve tempo para que os fabricantes pudessem acompanhar o progresso do recurso, que seria mais útil nos EUA, pelo menos por enquanto.
Para quem não sabe, a tecnologia PassPoint cria uma base de dados de hotspots Wi-Fi e permite ao utilizador aceder à Internet de qualquer lugar que faça parte do programa. O que é melhor ainda é que não é necessário fornecer nenhum login ou informações de cobrança, já que o programa possui suporte para autenticação baseada no SIM (Subscriber Identity Module, ou módulo de identidade do assinante).
Isto permitiria que diferentes operadoras pudessem firmar acordos e fazer com que os seus  utilizadores se ligassem a hotspots de uma ou outra operadora, independente de qual seja a sua, e sem fornecer nenhum tipo de login. Se esta tecnologia fosse integrada com sucesso no iPad, ele seria um caso móvel de absoluto sucesso.
(Network World/IDG Now!)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado