Backup representa 60% do negócio da Symantec em Portugal

A empresa está a preparar a versão do BackupExec 2012 para disponibilizar em cloud computing e procura parceiros, segundo João Beato, director-geral da empresa no país.

Perto de 60% do volume de negócios da Symantec, em Portugal, é realizado na área tecnológica para backup de informação, segundo João Beato, director-geral da empresa no país. O fabricante apresentou as novas versões do Backup Exec (2012) e  do Netbackup (7.5), a serem lançadas na Primavera. De acordo com o responsável, o fabricante prepara ainda uma versão do primeiro software, para ser disponibilizado no fim de Março, através de uma plataforma de cloud.
Hoje a empresa está servir cerca de 20 clientes através de cloud computing, segundo João Beato. O mesmo considera que as empresas portuguesas têm-se mostrado “conservadoras” quanto à adopção da oferta da empresa em cloud computing, e do referido modelo em geral.
Apesar disso, admite a hipótese de o facto estar relacionado com a ausência de um responsável dedicado a desenvolver o negócio do fabricante nessa área em Portugal (ao contrário do que acontece em Espanha). A estratégia para o novo ano fiscal, a iniciar em Abril, poderá trazer mais novidades.
Mas para já, João Beato avança apenas que estão a desenvolver-se conversações, para os parceiros com oferta de cloud computing disponibilizarem serviços baseados em tecnologia (de backup) da Symantec. Isso pode acontecer de várias formas, incluindo a utilização de equipamento licenciado ao parceiro pelo fabricante.
O director-geral diz que o fabricante  pode conferir  “escala” à oferta de serviços do parceiro e tem um modelo de licenciamento adaptado ao cloud computinga para o canal. A Mainroad é um dos parceiros em conversações com o fabricante, entre outros, ressalva  o executivo.
Hoje o negócio de tecnologia e serviços de backup da Symantec distribui-se por três partes mediante o produto usado: o Netbackup corresponde a 50% do negócio, o Backups Exec a 30%, e o Enterprise Vaulta 20%. Citando dados da IDC, João Beato diz que a Symantec detém perto de 30% de quota no mercado português.
Nas previsões do director-geral, o ano de  2012 será “dificílimo” para o negócio do fabricante em Portugal. Mesmo assim, conta com a cada vez maior proliferação de dados e as necessidades das empresas na gestão desse fenómeno.
Considera que muitas empresas portuguesas com propriedade intelectual  no país ainda não tem mecanismos de backup, nem de prevenção de perda de dados (Data Loss Prevention). Além da cloud computing, o último segmento merecerá enfoque por parte do fabricante.
“A pressão estrangeira para as empresas adoptarem esse tipo de tecnologia é cada vez maior”,  diz o executivo. Isso acontece em sectores tão díspares como o das farmacêuticas ou da indústria mais pesada.
De acordo com João Beato, dos  quatro negócios concretizados nesse segmento, dois surgiram apenas depois de os clientes terem sofrido perdas – e os outros decorreram de consultas espontâneas.
As necessidades das organizações no âmbito da governação, risco e conformidade serão outras áreas de enfoque. Neste domínio ganharão atenção os projectos para mecanismos de arquivo de informação, mas associados a tecnologia de descoberta rápida e compressão de dados, de acordo com o executivo.

Principais novidades do Backup Exec
A Symantec lançou uma versão para pequenas empresas Smal Business Edition, mediante uma licença de específica para três servidores, e de configuração mais simples.
O Backup Exec 2012 inclui:
– uma consola de administração redesenhada com novo interface que configura automaticamente as políticas e
definições mais comuns e bem-sucedidas, extraídas dos muitos anos de experiência da Symantec
– Com base na tecnologia V-Ray da Symantec, permite ter visibilidade entre ambientes físicos e virtuais para backups e reposição de informação, e fornece uma “true single file recovery”, deduplicação e gestão de backup para VMware, Hyper-V ou servidores físicos;
– suporta, segundo o fabricante,  uma recuperação granular de máquinas
virtuais inteiras, ficheiros únicos, objectos Active Directory, e-mails de Exchange ou documentos SharePoint de qualquer “backup single-pass” físico, em VMware ou Hyper-V.

Principais novidades do NetBackup 7.5:
–  O fabricante espera que o NetBackup Accelerator acelere as operações de backup;
–  O NetBackup Replication Director centraliza agestão e acelera a recuperação de “snapshots” baseada na  API avançada da interface da Symantec OpenStorage (OST), que pode integrar-se com os “snapshots” e replicação NetApp (SnapVault and SnapMirror);
–  O NetBackup Search foi preparado para  eliminar a retenção infinita de dados, ajudando a identificar a informação que deve ser arquivada ou eliminada com base na sua relevância para
casos de conformidade ou de investigação legal;
– O NetBackup é posicionado como ponto único de controlo para backups, deduplicação e recuperação de tape, disco, máquinas virtuais, máquinas físicas e cloud;  com suporte adicional para armazenamento em cloud da AT&T, Amazon Web Services e Rackspace, além da actual parceria com a Nirvanix.
– Através do Symantec V-Ray, o NetBackup 7.5 oferece visibilidade do tipo X-Ray, a ficheiros VMDK e VHD da VMware e Hyper-V, respectivamente, para fornecer recuperação granular sem copiar ou acumular dados, segundo o fabricante;
– Com a funcionalidade  Auto Image Replication (AIR), o equipamento automatiza o backup e a replicação entre vários domínios, ou várias localizações NetBackup, e permite aos clientes eliminar volumes de dados redundantes e determinar prioridades, para ficheiros que são enviados pela rede, para objectivos de recuperação em desastres, de acordo com a Symantec.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado