Dispositivos móveis “absorveram” maioria do investimento em chips

24% das despesas em chips fornecidos durante 2011 são referentes a dispositivos móveis, como smartphones, tablets e afins.

Os gastos com microchips usados em smartphones, tablets e dispositivos relacionados wireless superaram os as despesas com chips para computadores em 2011, de acordo com a IHS (antes denominada iSuppli). O investimento em semicondutores para produtos de comunicação sem fios totalizaram 58,6 mil milhões de dólares em 2011. Tratou-se de  um aumento de 14,5% face aos 51,2 mil milhões  de dólares despendidos em 2010, diz a IHS.
Em comparação, os gastos com semicondutores de computador em 2011 ficaram nos 53,7 mil milhões de dólares. Aumentaram  4% desde os 51,8 mil milhões de dólares em 2010.
A despesa com chips para telemóveis suplantou a dos PC em 2009. Contudo, a IHS considera a recente mudança como fazendo parte de alterações mais definitivas.
Para o próximo ano, os gastos em chips de mobilidade sem fios deverão ascender 72,9 mil milhões de dólares, segundo previsões da IHS. Enquanto o investimento para  permanecerá estável em nos 53,4 mil milhões de dólares. Os chips para dispositivos sem fios absorvem 24% dos gastos mundiais com  semicondutores, sendo agora o maior de 10 segmentos, segundo a IHS.
Wenlie Ye, um analista da IHS, disse que o sucesso da Apple com o iPhone e o iPad salientam a importância da capacidades de comunicação sem fios na compra de semicondutores. A Apple gastou mais do que qualquer fabricante em semicondutores para tablets durante 2011 – despendeu 4,6 mil milhões de dólares – enquanto a Samsung investiu 603 milhões de dólares e a HTC gastou 199 milhões de dólares.
Ye prevê que os tablets ajudarão as vendas de chips, para dispositivos móveis, subirem nos próximos dois anos. Mas disse que os telemóveis e os smartphones ainda vão constituir a maior parte dos gastos com semicondutores para dispositivos de comunicação sem fios.
Gastos globais em semicondutores, para todos os segmentos atingiram os 240,6 mil milhões de dólares em 2011, um aumento de 5% a partir de 230,1 mil milhões dólares em 2010, explica a IHS. Esse crescimento terá sido modesto quando comparado com uma expansão de 32% durante 2010, após uma contracção de 13%, em 2009.
A IHS acompanha 191 empresas compradoras de semicondutores, abrangendo quase 80% do negócio total nesses componentes.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado