Google quer “acelerar” a Internet

Grupo de especialistas da empresa defende uma revisão do TCP. O objectivo é diminuir a latência e tornar a rede mais rápida.

Um grupo de técnicos da Google propõe uma revisão da camada de transporte do TCP (Protocolo de Controlo de Transmissão) e sugere maneiras para reduzir a latência e tornar a rede mais rápida.
A equipa do “Let’s make the Web faster” tem feito várias recomendações para melhorar a velocidade do TCP, incluindo aumentar a janela de congestionamento inicial do TCP. Num texto no blogue Google Code, um membro da equipa, Yuchung Cheng, chamou o TCP de “burro de carga da Internet” porque, normalmente, os browsers abrem ligações TCP paralelas antes de fazerem os pedidos reais. “Essa estratégia supera as limitações naturais do TCP, mas resulta numa alta latência em muitas situações”, afirmou.
Para o analista da consultora IDC, Al Hilwa, as sugestões “parecem ser recomendações bem pesquisadas e que, se implementadas de modo amplo, permitirão melhorias significativas na rede de todos em termos de performance e latência. A questão é que a capacidade precisa de ser implementada amplamente para alcançar os ganhos desejados de desempenho. Além disso, as novas pilhas TCP/IP teriam que funcionar com as antigas por algum tempo”.
A Google também está a encorajar o uso do protocolo desenvolvido pela empresa, o chamado TCP Fast Open, que reduz a latência de rede em aplicações e diminui as taxas proporcionais (PRR) para o TCP. “Perdas de pacotes indicam que a rede está desordenada ou congestionada. O PRR, um novo algoritmo de recuperação de perdas, retransmite de modo suave para recuperar perdas durante o congestionamento da rede. O algoritmo é mais rápido do que o mecanismo actual ao ajustar a taxa de transmissão de acordo com o nível das perdas. O PRR é agora parte do kernel do Linux e está a caminho de tornar-se parte do padrão TCP”, diz Cheng.
Além disso, a Google está a desenvolver algoritmos para recuperações mais rápidas em redes móveis “ruidosas”, afirma o especialista.
O trabalho em TCP da Google é open source (código aberto) e está a ser disseminado por meio do kernel do Linux, propostas de normas na IETF, e publicações da investigação para encorajar o envolvimento da indústria.
(IDG News Service/IDG Now!)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado