Parlamento Europeu com site atacado

Os ataques de negação de serviço seguem-se às novas assinaturas do tratado de propriedade intelectual ACTA.

O site do Parlamento Europeu (PE) teve hoje um ataque de negação de serviço distribuído (DDoS) que a organização classifica como retaliação pela desactivação do site de partilha de ficheiros Megaupload e pela assinatura do acordo comercial anti-falsificação ACTA, também assinado por Portugal.
O PE revelou já ter agido para reduzir o impacto dos ataques, mas o site esteve lento desde esta tarde.
Os Anonymous, um grupo de hackers e activistas, têm realizado uma série de ataques DDoS contra sites governamentais e outras organizações internacionais após a desactivação na semana passada do Megaupload, cujos operadores são acusados pelas autoridades dos EUA por crimes de direitos autorais.
Os Anonymous, que têm procurado o apoio dos utilizadores da Internet, criaram ferramentas baseadas na Web que permitem a pessoas sem conhecimentos técnicos participar em ataques DDoS, bombardeando sites com uma quantidade excessiva de tráfego e assim fazendo com que fiquem inacessíveis.
Alguns alvos na última semana incluíram a Universal Music, o Departamento de Justiça dos EUA e a Recording Industry Association of America.
O grupo hacktivista também se demonstrou contra o Acordo de Comércio Anti-Contrafacção (ACTA), tratado que estabelece um quadro de como os países devem lidar com o que são consideradas violações significativas dos direitos de propriedade intelectual.
O tratado está em processo de ratificação mas vários países da União Europeia – incluindo a Polónia, que teve protestos generalizados sobre o tratado – assinaram-no esta quinta-feira, no Japão.
Outros oito países – Austrália, Canadá, Japão, Coreia do Sul, Marrocos, Nova Zelândia, Singapura e Estados Unidos – assinaram o ACTA em Outubro passado.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado