Protesto contra ACTA atinge sites polacos

O apoio do governo polaco ao acordo internacional anti-contrafacção levou um grupo de hackers – “Polish Underground” – a atacar vários sites governamentais da Polónia.

A rede de sistemas de informação da administração pública polaca terá entrado em estado de alerta esta segunda-feira depois de vários sites institucionais do país terem sido atacados por um grupo de “hactivistas” – auto-denominado  “Polish Underground”. A ofensiva está a ser desencadeada em protesto contra os planos da Polónia para assinar o tratado de comércio internacional chamado Anti-Counterfeiting Trade Agreement (ACTA).
Um dos objectivos principais do acordo será combater a violação de direitos autorias e a pirataria online de conteúdos, e segundo observadores críticos do mesmo, pode levar à censura na Internet. Hoje, o primeiro-ministro  Donald Tusk e outros responsáveis governamentais realizaram uma reunião para reconsiderar a sua posição face ao tratado. A intenção do governo era assinar o acordo na próxima quinta-feira em Tóquio.
O ataque está a ser executado desde sábado quando foram publicadas mensagens a revelar planos nesse sentido, a partir da conta de Twitter “AnonymousWiki”. Numa resposta inicial ao ataque do tipo DDoS, o porta-voz do governo, Pawel Gras, negou no domingo o incidente, segundo o Washington Post.

“Este não é um ataque de hackers, mas apenas o resultado do enorme interesse nos sites do primeiro-ministro e do parlamento”, disse. Rapidamente as declarações foram ridicularizadas no Facebook e noutros sites da Internet.
De acordo com o Washington Post, Michal Boni, o ministro da administração e digitalização, reconheceu numa entrevista à rádio que o governo não fez consultas públicas suficientes sobre a questão.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado