Dez tendências tecnológicas para 2012

O impacto transformador das TI nas empresas não vai parar e Michael Friedenberg, CEO da revista CIO (grupo IDG), prevê uma série de tendências que poderão influenciar as organizações e os CIO.

Mesmo que se questione o ritmo transformador das TI nas organizações, o impacto das mesmas não se deve extinguir. Para 2012, o CEO da revista CIO (grupo IDG), Michael Friedenberg, prevê, num texto de opinião, 10 tendências das quais se espera uma importante influência – tanto nas organizações com nos responsáveis de TI, em especial nos CIO:

Dados tornam-se “líquidos”: vão fluir como a água faz pelas encostas abaixo, por onde encontram menor resistência. A gestão e protecção de dados têm de ter uma presença forte e protectora;

A consumerização das TI vai explodir: muito além da gestão de dispositivos pessoais dos empregados, as empresas vão sentir o impacto das redes sociais, da mobilidade, da cloud computing, do desenho de interfaces e da “gamification” [a utilização de práticas usadas em videojogos], para procurar um maior envolvimento dos clientes online, como por exemplo a atribuição de prémios virtuais (distintivos ou troféus). Intervenientes como a Box.net, Dropbox, Jive e ServiceNow serão surpreendentemente relevantes;

A interface de utilizador vai transformar-se na interface de envolvimento: a consumerização das TI também vai mudar rapidamente o enfoque na interface com o utilizador, para o envolvimento com os mesmos. Os responsáveis de TI serão avaliados pela forma como os funcionários e clientes se envolvem com as soluções que criam;

O eCommerce será mais social e realizado em mobilidade: baseado na  monitorização do utilizador, o comércio electrónico assente em redes sociais e em mobilidade deverá crescer, ascendendo a 20% a 30% do total das transações do comércio eletrónico;

A virtualização será viral: virtualização de servidores e armazenamento? Estando concluídas, o enfoque muda para o desktop, os dispositivos móveis e a virtualização de dados, com as devidas cautelas de segurança;

A operacionalização da cloud computing: as conversas sobre cloud  computing deixam a fase da evangelização exagerada e passam a ser dominadas pelas questões de adopção, implantação e protecção de soluções;

Colaborar com ou combater o CFO e o CMO:  dadas as pressões económicas e a evolução para o marketing automatizado, os responsáveis de TI deverão passar mais tempo com esses executivos. Vão competir por dinheiro ou colaborar? A escolha será dos executivos de TI.

Os crescimentos interno e externo das TI serão intensos: o primeiro tem a ver com os esforços de transformação dos processos internos de negócio, enquanto o segundo se associa ao envolvimento dos clientes e aumento das receitas. A equipa de TI tem aptidões para gerir os dois?

A economia será ainda mais globalizada: os responsáveis de TI serão forçados a repensar e re-examinar tudo à luz das tendências mundiais, envolvendo mobilidade, redes sociais, cloud computing. Liberdade e flexibilidade serão o mote.

A importância dos CIO será novamente testada: os CIO de todos os segmentos industriais deverão dominar estas 10 tendências e ajudar as suas empresas a beneficiarem delas. Os responsáveis de TI têm de ser decididos para garantir a sua influência e poder, conquistados legitimamente na última década. Terão de continuar a agregar valor.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado