Israel justifica indisponibilidade de sites com “falha nos servidores”

A falha de serviço seguiu-se a uma ameaça de ataque por parte do grupo de hackers e activistas Anonymous.

Os sites do governo israelita estão a funcionar novamente depois de recuperarem do que as autoridades de Israel dizem ter sido uma “falha de servidor”, num centro de dados. Na noite de domingo, as páginas dos serviços secretos Mossad, da força aérea israelita  – Israel Defense Forces (IDF), e da Agência de Segurança conhecida como Bet ou Shabak Shin ficaram eram inacessíveis ou em manutenção. Levantou-se a suspeita de que seria resultado de uma acção do grupo de hackers e activistas Anonymous.

Os mesmos ameaçaram, na semana passada, atacar organizações do país se este continuasse o seu bloqueio à Faixa de Gaza. No entanto, a Anonymous não assumiu a responsabilidade por qualquer ataque.

O governo israelita, entretanto, manteve repetidas vezes que seus sites não foram invadidas. “Não foi um ataque de hackers, mas uma falha do servidor”, disse Ofir Gendelman, porta-voz do gabinete do primeiro-ministro de Israel, numa mensagem colocada no Twitter, esta segunda-feira.

O problema ocorreu num centro de dados do governo, chamado de “Tehila”, gerido pelo ministério das finanças, disse Gendelman por e-mail.

“Houve uma falha num dos servidores que carregam sites de alguns ministérios e agências governamentais, incluindo o site do porta-voz da força aérea”, escreveu.

Gendelman não forneceu os detalhes da falha do servidor, mas de acordo com um jornal israelita houve uma avaria em componentes de armazenamento. Os sites do gabinete do primeiro-ministro e do Ministério dos Negócios Estrangeiros não entraram em colapso, prova de que não era um ataque cibernético,  segundo o porta-voz.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado