57% dos lares tem acesso à Internet em banda larga

Em 2011, 36% dos indivíduos entre os 16 e os 74 anos nunca utilizaram computador e 41% nunca usou a Internet, revela o INE.

A quase totalidade (98%) dos 58% de lares portugueses que tem acesso à Internet fá-lo em banda larga, revela o Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação pelas Famílias, divulgado hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).
64% dos agregados domésticos tem computador, sendo este usado por 58% dos indivíduos entre os 16 e os 74 anos, com 55% deles a acederem à Internet e 10% a declarar ter efectuado encomendas na Internet nos três meses anteriores ao inquérito. Este decorreu entre Abril e Maio de 2011, numa amostra de 10.541 alojamentos familiares de residência principal com pelo menos um indivíduo entre os 16 e os 74 anos, e foi realizado pelo INE com a UMIC – Agência para a Sociedade do Conhecimento.
Segundo o INE, “desde 2002 o acesso a computador e o acesso à Internet apresentam um crescimento médio anual de 11% e 17%, respectivamente”, sendo o acesso em banda larga “o indicador em que se verifica uma maior evolução”, “tendo passado de 8% para 57% a proporção de agregados que acedem à Internet através de banda larga”.
A região de Lisboa e os Açores “apresentam proporções de agregados com acesso às TIC superiores à média do país”, refere o Instituto, com Lisboa a apresentar a “maior distância face à referência nacional: 71% dos agregados residentes nesta região têm acesso a computador, 68% dispõem de acesso à Internet e 67% têm ligação em banda larga”.
Nos Açores, “65% dos agregados dispõem de computador em casa, 60% têm acesso à Internet e 59% dispõem de ligação por banda larga”. Neste último caso, nota para a região do Algarve, com 57% a acederem por banda larga.
A banda larga é principalmente acedida em ligações por cabo e móveis através de modem USB ou placas de acesso à Internet (43% dos agregados), com as ligações por DSL presentes em 35% dos lares.
Em 2011, refere ainda o INE, “58% dos indivíduos entre os 16 e os 74 anos utilizam o computador e 55% a Internet. Comparativamente a 2002, estes níveis de utilização representam um crescimento médio anual de 9% na utilização de computador e 13% na utilização de Internet”.
Se são os homens quem mais usa as tecnologias – “61% dos homens utilizam computador e 58% utilizam Internet; 56% e 53% das mulheres utilizam computador e Internet, respectivamente” – o que mais se distingue na utilização das tecnologias é a idade, o nível de ensino e a condição laboral:
– o seu uso “varia na razão inversa da idade, sendo sobretudo entre os indivíduos dos 16 aos 24 anos que se verifica um maior nível de utilização de computador (95%) e de Internet (93%)”;
– nos indivíduos com ensino superior, 95% utilizam, em igual proporção, computador e Internet, acompanhados pelos que detêm qualificações ao nível do ensino secundário, com 95% e 93% a utilizar, respectivamente, computador e Internet.
– por fim, a utilização de ambas as tecnologias “é mais acentuada entre os estudantes e os empregados”. A “quase totalidade” dos primeiros usa-as, enquanto nos empregados 69% utiliza computador e 65% a Internet.
No total, três quartos afirma usar o PC ou a Internet diariamente, principalmente no lar. Mas só 10% dos indivíduos usou a Internet, “nos três meses precedentes ao inquérito para efetuar encomendas de produtos ou serviços”, sendo que “entre 2002 e 2011, a proporção de indivíduos que efectuam encomendas pela Internet teve um crescimento médio anual de 23%”.
Se neste caso não há diferenças por sexo, as compras online são superiores “à média nacional nos indivíduos dos grupos etários mais baixos, sendo os indivíduos com idade entre os 25 e os 34 anos os que mais realizam encomendas pela Internet (19%)”, bem como nos que têm ensino superior e secundário.
36% de indivíduos entre os 16 e os 74 anos nunca utilizou computador e 41% nunca usou a Internet, revela o INE, sendo as regiões do Alentejo e dos Açores as que têm maiores proporções (42% em ambas as regiões no caso do uso de PC e 46% nos Açores e 47% no Alentejo para o acesso à Internet). São principalmente mulheres (perto dos 40%), com qualificações mais baixas e idosos: acima de 80% nos que têm entre 65 e 74 anos.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado