No Brasil, ISPs têm de garantir velocidade mínima de 60%

Medida entra em vigor em 2012, segundo a Anatel; a média entregue actualmente fica em cerca de 10% do que é contratado.

A velocidade média entregue aos assinantes pelos fornecedores de serviço de Internet (ISP) no Brasil é cerca de 10% do que é contratado. Mas isto vai mudar. A Anatel  (Agência Nacional de Telecomunicações) aprovou ontem novas metas para as empresas que oferecem acesso à Internet fixa e móvel, segundo informações da Agência Brasil.
De acordo com a nova medida, a velocidade mínima de conexão entregue pelas empresas com mais de 50 mil assinantes deverá saltar inicialmente para 60%, numa média mensal, já em 2012. Esse índice deve aumentar a cada ano, até chegar a uma média mensal de 80% da velocidade contratada, em 2014.
Além disso, a chamada velocidade instantânea da ligação não poderá ser inferior a 20% do que for contratado em 95% das medições. Essa percentagem vai passar para 30% depois de um ano e para 40% no ano seguinte. Segundo a Anatel, as metas de velocidade começam a valer depois de um ano da publicação das resoluções, o que deve acontecer nos próximos dias.
Para finalizar, as empresas deverão oferecer aos consumidores um software para a medição da velocidade, que servirá para que eles possam reclamar se a velocidade contratada não for cumprida. E, no caso de não cumprimento das obrigações, a empresa poderá ser multada até 25 milhões de reais.
As novas medidas também estabelecem que as empresas ficam proibidas de limitar a velocidade de ligação de acordo com o serviço que está a ser utilizado, salvo em caso de segurança e estabilidade de rede. Assim, uma operadora que oferece Internet e telefonia não poderá dificultar o acesso dos usuários a serviços de transmissão de voz pela rede para induzi-los a utilizar o telefone, que custa mais caro, por exemplo.
A Anatel também determinou que as mensagens de texto enviadas pelos telemóveis terão que chegar ao destinatário no espaço de 60 segundos em 95% dos casos.
(IDG Now!)




Deixe um comentário

O seu email não será publicado