Intel abandona MeeGo e adopta Tizen

A Intel e a Samsung vão unir esforços para desenvolver o novo sistema operativo baseado em Linux para dispositivos móveis e televisões.

A Linux Foundation e a Limo Foundation revitalizaram esforços para competir com a Apple e o universo Android. Fundiram os sistemas operativos MeeGo e Limo numa nova plataforma chamada Tizen, com o apoio da Intel e da Samsung.

O novo sistema operativo será especialmente concebido  para funcionar com a Internet em smartphones, tablets, televisões, netbooks e sistemas de entretenimento e informação para veículos. A Linux Foundation vai albergar o projecto, e planeia fazer um lançamento inicial no primeiro trimestre de 2012. Os  primeiros aparelhos devem chegar ao mercado a meados de 2012, revelou.

O objectivo passa por desenvolver um sistema operativo capaz de tornar mais fácil correr e desenvolver aplicações baseadas em browsers. A maioria dos sistemas operativos de mobilidade focam-se hoje na execução de aplicações nativas  no telefone.

O futuro pertence às aplicações baseadas em HTML5, considera Imad Sousou, director do Centro de tecnologia Open Source da Intel, explicou no site do MeeGo.

O HTML5 vai desempenhar um papel fundamental no novo sistema operativo – e é a razão pela qual é necessário um novo sistema, em vez de uma actualização para os  já existentes, de acordo com Sousou: “A mudança para o HTML5 não significa apenas colocar um ‘runtime’ para a Internet sobre o Linux existente, mesmo sendo destinado à mobilidade, como tem sido o MeeGo. Dar maior importância  ao HTML5 significa possibilitar que as API invisíveis aos programadores  HTML5 não precisem de ser tão rígidas, e possam evoluir com as tecnologias das plataformas e variando conforme o segmento de mercado “, escreve Sousou.
O Tizen também terá suporte integrado para as aplicações Wholesale Applications Community (WAC) ambiente de desenvolvimento para a Internet, uma iniciativa a apoiada por operadores para desenvolver aplicações para múltiplas plataformas com base na Web.

A WAC pretende fornecer e promover uma plataforma sobre a qual os programadores possam desenvolver e distribuir aplicações baseadas na web, e capazes de serem executadas numa grande variedade de telefones. Além disso servirá para os operadores reservarem para si uma quota do negócio das lojas de aplicações: as aplicações baseadas em WAC serão distribuídas e vendidas através de lojas controladas pelos operadores.

Ao longo dos próximos dois meses, a Intel vai procurar garantir que os utilizadores de MeeGo possom facilmente migrar para o Tizen, disse Sousou. Mas a transição dos programadores também será importante.

Desde que a Nokia decidiu, em Fevereiro, optar pelo Windows Phone, a Intel ficlou sem um grande parceiro de hardware. Mas com o Tizen, tem a Samsung em parceria. A Intel e a Samsung vai liderar a direcção técnica do Tizen técnica, de acordo com um post no blog no site do sistema operativo.

Entretanto a Samsung assinou um acordo de licença de patentes com a Microsoft para usar o sistema operativo Android, sem riscos de ser processada.  A Samsung foi colocada numa posição de potencial isolamento: o maior apoiante do Android, a Google,  comprou o seu próprio fabricante de dispositivos móveis a Motorola; a Nokia formou uma estreita parceria com a Microsoft. A  Samsung precisava de procurar alternativas além do seu sistema operativo Bada, de acordo com Pete Cunningham, analista da Canalys.

Mas até ao momento, projectos baseados em Linux, como o MeeGo e Limo não conseguiram deixar a sua marca. E muitos pensam que desta vez não será diferente.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado