Vendas de PC descem 21,2%

Durante o segundo trimestre de 2011 a procura no mercado de doméstico e empresarial continuou a desacelerar, de acordo com a IDC. Estas tendências devem manter-se.

A consultora IDC anunciou que o mercado de PC em Portugal apresentou no segundo trimestre de 2011 uma quebra de 21,2 % face a igual período do ano passado. Segundo o relatório “EMEA PC Tracker”, no segundo trimestre foram vendidos em Portugal 216 mil PC (portáteis + desktops), menos 58,2 mil do que em igual período de 2010.

“Portugal tornou a registar uma quebra na venda de PC à semelhança do primeiro trimestre pela desaceleração da procura do mercado de consumo e do mercado empresarial, tendência que se deverá manter para os seis últimos meses de 2011”, refere Gabriel Coimbra, director de pesquisa e consultoria da IDC Portugal.

“A crise económica, principalmente, e a procura crescente por dispositivos alternativos, como smartphones ou media tablets, estão a ter um impacto negativo no mercado de PC. Em função do contexto económico e das medidas de restrição orçamental, mesmo o regresso às aulas e o Natal não serão suficientes para devolver a vitalidade a este mercado”, prevê o analista.

A venda de portáteis continua a representar a maior fatia do mercado de PC (83%) e teve uma quebra de 19,2%, com 179,3 mil unidades vendidas. Mas os computadores desktop com apenas 36,7 mil unidades vendidas apresentaram ainda uma
quebra mais acentuada de 29,9% face ao mesmo trimestre do ano transacto.

O mercado de consumo, apesar da quebra de 20,7%, continua a ser o grande dinamizador das vendas de PC em Portugal, com a absorção de 152,2 mil unidades. No mercado empresarial as vendas de PC desceram 22,4%, ficando nas 63, 8 mil unidades.

HP lidera mercado português de PC mas cai 14,3%

A classificação dos 10 maiores fabricantes presentes no mercado português foi liderada pela Hewlett-Packard (HP) no segundo trimestre, com 47,1 mil unidades vendidas. Com uma quota de mercado de 21,8%, a HP sofreu uma quebra de 14,3% nas vendas relativamente ao mesmo período do ano anterior.

A contrariar a tendência de quebra nesta calssificação, destaca-se o crescimento da JP Sá Couto, da Samsung e da Lenovo. A ocupar a terceira posição, a empresa nacional JP Sá Couto aumentou as suas vendas em 74,4% – o que correspondeu a 41,1 mil unidades vendidas. A Samsung cresceu 170,8% e ocupa a quinta posição com 15,1 mil unidades vendidas. A Lenovo, na décima posição com 1,8 mil unidades vendidas, cresceu 5,8%.

Toshiba sofre quebra de 14,9%

A Toshiba liderou as vendas no mercado nacional de portáteis com 41,8 mil unidades vendidas. Com uma quota de mercado de 23,3%, a quebra de vendas da Toshiba chegou aos 14,9%. A JP Sá Couto, no segundo lugar do ranking de portáteis cresceu 67% com as vendas a atingirem as 37,5 mil unidades. A Samsung na quinta posição viu as suas vendas aumentarem 170,8%, a Dell na nona posição cresceu 3,9% e a Lenovo na décima posição aumentou 17,6% as vendas. Os fabricantes HP, ASUS, Acer Group, Apple e Sony viram as vendas de portáteis descerem neste trimestre.

JP Sá Couto é o único fabricante a crescer nos desktop

Nas vendas de desktop, a HP ocupa a primeira posição com 14 mil unidades vendidas, mas com uma quebra 15,4% face ao segundo trimestre de 2010. A Dell na segunda posição teve uma redução de 34%, com apenas 4,6 mil unidades vendidas. A JP Sá Couto na terceira posição apresentou um crescimento de 228,2 %, com 3,5 mil unidades vendidas. A Acer, a ASUS, a Apple, a Fujitsu a Lenovo e a Inforlandia sofreram quebras nas vendas comparativamente ao período homólogo.

Venda de PC desce 21,2%

Durante o segundo trimestres de 2011 a procura no mercado de doméstico e empresarial continuou a desacelerar, de acorddo com a IDC. Estas tendências devem manter-se.

A consultora de mercado IDC anunciou que o mercado de PC em Portugal apresentou no segundo trimestre de 2011 uma

quebra de 21,2 % face a igual período do ano passado. Segundo o relatórioIDC EMEA PC Tracker, no segundo trimestre foram vendidos em Portugal 216 mil PC (portáteis+desktops), menos 58,2 mil do que em igual período de 2010.

“Portugal tornou a sofrer uma quebra na venda de PCs à semelhança do primeiro trimestre pela desaceleração da procura do mercado de consumo e do mercado empresarial, tendência que se deverá manter para os seis últimos

meses de 2011”, refere Gabriel Coimbra, director de pesquisa b e cunsultoria da IDC Portugal. “A crise económica, principalmente, e a procura crescente por dispositivos alternativos, como smartphones ou media tablets, estão a ter

um impacto negativo no mercado de PC. Em função do contexto económico e das medidas de restrição orçamental, mesmo o regresso às aulas e o Natal

não serão suficientes para devolver a vitalidade a este mercado”, prevê o analista.

A venda de portáteis continua a representar a maior fatia do mercado de PCs (83%) e teve uma quebra de 19,2%, com 179,3 mil unidades vendidas. Mas os computadores desktop com apenas 36,7 mil unidades vendidas apresentaram ainda uma

quebra mais acentuada de 29,9% face ao mesmo trimestre do ano transacto.

O mercado de consumo, apesar da quebra de 20,7%, continua a ser o grande dinamizador das vendas de PCs em Portugal, com a absorção de 152,2 mil unidades. No mercado empresarial as vendas de PCs desceram 22,4%, ficando nas 63, 8 mil unidades.

HP lidera mercado português de PC mas cai 14,3%

A classificação dos dez maiores fabricantes presentes no mercado português, foi liderada pela Hewlett-Packard (HP) no segundo trimestre com 47,1 mil unidades

vendidas. Com uma quota de mercado de 21,8%, a HP sofreu uma quebra de 14,3% nas vendas relativamente ao mesmo período do ano anterior.

A contrariar a tendência de quebra nesta calssificação, destaca-se o crescimento da JP Sá Couto, da Samsung e da Lenovo. A ocupar a terceira posição, a empresa nacional JP Sá Couto aumentou as suas vendas em 74,4% o que correspondeu a 41,1 mil unidades vendidas. A Samsung cresceu 170,8% e ocupa a quinta posição com 15,1 mil unidades vendidas. A Lenovo, na décima posição com 1,8 mil unidades vendidas, cresceu 5,8%.

Toshiba sofre quebra de 14,9%

A Toshiba liderou as vendas no mercado nacional de portáteis

com 41,8 mil unidades vendidas. Com uma quota de mercado de 23,3%, a quebra de vendas da Toshiba chegou aos 14,9%. A JP Sá Couto, no segundo lugar do ranking de portáteis cresceu 67% com as vendas a atingirem as 37,5 mil unidades. A Samsung na quinta posição viu as suas vendas aumentarem 170,8%, a Dell na nona posição cresceu 3,9% e a Lenovo na décima posição aumentou 17,6% as vendas. Os fabricantes HP, ASUS, Acer Group, Apple e Sony viram as vendas de portáteis descerem neste trimestre.

JP Sá Couto é o Único Fabricante a Crescer nos Desktop

Nas vendas de desktop, a HP ocupa a primeira posição com 14 mil unidades vendidas, mas com uma quebra 15,4% face ao segundo trimestre de 2010. A Dell na segunda posição teve uma redução de 34%, com apenas 4,6 mil unidades vendidas. A JP Sá Couto na terceira posição apresentou um crescimento de 228,2 %, com 3,5 mil unidades vendidas. A Acer, a ASUS, a Apple, a Fujitsu a Lenovo e a Inforlandia sofreram quebras nas vendas comparativamente ao período homólogo.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado