Portugueses acham que disponibilizam demasiada informação

Um estudo da Comissão Europeia sobre a protecção de dados na Europa colocam a maioria dos portugueses, como os principais cidadãos europeus que consideram ter de fornecer demasiada informações pessoais para aceder a serviços na Internet.

Perto de 56% dos portugueses consideram exagerada a informação exigida na Internet para poderem usufruir de serviços online. O dado pertence a um Eurobarómetro especial, centrado nas atitudes dos cidadãos europeus face à necessidade de protegerem os seus dados pessoais e identidade electrónica.

Outro dado, na mesma linha do anterior, é o facto de 80% dos portugueses se preocuparem com o facto de terem de fornecer informações.

A primeira percepção é vulgar especialmente nos países do Sul da União Europeia: a seguir aos portugueses, surgem os espanhóis (54%), a Itália  e a Hungria (53%), a Grécia (49%) e a Irlanda (50%). Em todos os outros países, a maioria dos utilizadores de Internet não sente que tem de ceder demasiada informação. Nos países do norte isso parece mais evidente: na Finlândia. Luxemburgo, Lituânia, Suécia e Estónia.

Segundo o estudo, mais de metade dos utilizadores de Internet que partilham fotografias, vídeos ou filmes (50%) foram “obrigados” a fornecer mais informação do que o necessário, em comparação com os outros utilizadores.


Artigo anterior
Artigo seguinte


Deixe um comentário

O seu email não será publicado