Aumento dos custos de centros de dados em “outsourcing” é “inevitável”

Especialistas alertam para as limitações da oferta.

As organizações de TI que procuram terceirizar os seus centros de dados ou co-localizar os seus principais sistemas podem enfrentar um forte aumento de preços durante este ano, de acordo com especialistas da indústria na conferência Data Centres 2011, que decorreu em Nice (França).
Michael Tobin, presidente-executivo do Telecity Group, disse que “telemóveis, vídeo e nuvem lideram a procura, enquanto a oferta, em particular de instalações de alta qualidade é muito restrita”.
Fabrice Coquio, director da Interxion France, considera que disse que os preços de hospedagem num centro de dados subiu 15 a 20% em relação ao ano passado e devem subir pelo menos mais 15% este ano.
“Há uma falta estrutural na oferta e procura e que não vai melhorar nos próximos dois ou três anos na Europa”, disse.
Tim Anker, fundador do The Colocation Exchange, uma corretora pioneira em Londres, sugeriu que os custos dos centros de dados, em especial nos principais centros de negócios  como Londres, vai duplicar nos próximos 10 anos.
Um painel de liderança – formado por executivos seniores de alguns dos principais centros europeus de dados e empresas de armazenamento – concordou que, apesar dos constrangimentos da oferta, as empresas vão cada vez mais optar pela terceirização dos centros de dados.
The Broad Group, que organizou o evento em Nice, estima que 13% dos centros de dados na Europa são terceirizados, contra 30% nos EUA, e o consenso entre os oradores do evento foi que a Europa iria acompanhar as tendências dos EUA.
Bernard Geoghegan, vice-presidente executivo dos Colt Data Centre Services, que esta semana lançou uma gama de centros de dados modulares, acrescentou uma ressalva, dizendo que muitas empresas gostariam de manter os seus próprios “data centres”.
Destacou também uma tendência para as empresas para desenvolverem uma abordagem em duas camadas para os seus centros de dados, colocando algumas aplicações e sistemas em centros de dados de alta qualidade, quando a latência é crítica para o negócio, e outras em locais mais distantes onde a latência é menos importante.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado