Vendas de PC em queda no primeiro trimestre

O mercado mundial de PCs caiu perto de 1,1% (em unidades) nos primeiros três meses do ano, em relação ao período homólogo, segundo a Gartner.

Após seis trimestres seguidos de crescimento, as vendas de unidades de PC no mundo caíram 1,1% durante o primeiro trimestre de 2011 face ao mesmo período de 2010, de acordo com números da Gartner. Segundo a consultora, foram comercializadas 84,3 milhões de unidades. Os números ficaram abaixo do estimado pela consultora, que previa um aumento de 3%.
“A fraca procura por PC de consumo foi o maior inibidor do crescimento”, disse a analista da Gartner, Mikako Kitagawa. “Os preços baixos para PC de consumo, que há muito tempo estimularam o crescimento, não atraíram mais compradores. Em vez disso, os consumidores voltaram as suas atenções para os tablets e para outros produtos eletrónicos. Com o lançamento do iPad 2, em Fevereiro, houve mais consumidores a quererem mudar as suas intenções de compra para um dispositivo alternativo, ou simplesmente decidiram adiar a compra do próximo PC”, explicou a analista.

De acordo com a mesma reponsável, a consultora está a estudar se a tendência  terá efeito no mercado de PC a longo prazo. O crescimento do segmento profissional foi um aspecto positivo para o mercado mundial. Sem esta expansão do segmento profissional, o mercado de PC poderia ter sofrido uma das piores quedas da sua história recente, na visão da Gartner.

Europa ocidental é o mais fraco

“O mercado de PC na região EMEA [Europa, Médio Oriente e África] não apresentou declínio desde o terceiro trimestre de 2009, quando o mercado caiu 8,9%”, disse o director de pesquisas do Gartner, Ranjit Atwal. “O excesso de inventário acumulado no final do quarto trimestre de 2010 foi reduzido lentamente, especialmente porque alguns dos produtos entraram no mercado em Março. A sazonalidade também foi mais fraca do que o esperado, indicando que a tendência de queda vista no final de 2010 continuou no primeiro trimestre de 2011”.

A Europa Ocidental continuou a apresentar resultados mais fracos na região EMEA, com os consumidores a adiarem a compra de PC ou a optarem por outros dispositivos como os tablets, principalmente após o lançamento do iPad2. No Médio Oriente e em África, o desempenho foi um pouco mais fraco do que o esperado.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado