IEEE aprovou a versão mais recente da norma WiMAX

O Institute of Electrical and Electronics Engineers aprovou o IEEE 802.16m, a norma de suporte à próxima geração do WiMAX, capaz de oferecer velocidades de download de mais de 300 Mbps.

O IEEE 802.16m, também conhecido como WirelessMAN-Advanced ou WiMAX-2, foi desenvolvido como o próximo passo na evolução do padrão tecnológico WiMax, o 802.16e. Trata-se da primeira versão global para o WiMAX móvel e acaba de ser aprovado pelo Institute of Electrical and Electronics Engineers.

Já está em desenvolvimento há mais de quatro anos e emerge num momento em que uma maioria significativa dos operadores já se comprometeu a desenvolver redes 4G LTE (Long-Term Evolution). Esta norma partilha algumas das características básicas da tecnologia WiMAX, mas foi  consolidada por um corpo de normalização tecnológica diferente.

Durante a CEATAC realizada em Tóquio no ano passado, a Samsung fez demonstrações de uma versão provisória da norma 802.16m, usando velocidades de 330 Mbpsm, mas norma foi concebida para proporcionar  velocidades de 100 Mbps aos utilizadores finais. O padrão tecnológico utiliza várias técnicas, tais como a MIMO (Multiple-In Multiple-Out), capaz de gerir múltiplos fluxos de dados. E também pode ser usada com unidades de femtocell e redes capazes de se auto-organizarem. O padrão é ainda compatível com a norma WiMAX, actual.

No ano passado, a norma 802.16m foi reconhecida como uma tecnologia 4G pela ITU (International Telecommunication Union), juntamente com a LTE-Advanced. No entanto, a UIT redefiniu a sua terminologia sobre as tecnologias de 4G posteriormente, admitindo nesse conjunto algumas das normas criadas com as melhorias em 3G.

O WiMAX é usado como serviços fixos e móveis de banda larga em muitas partes do mundo. O padrão 802.16e WiMAX móvel foi aprovado a meio da década passada, ao invés do LTE. Mas é esta última tecnologia que está a receber maior suporte por parte da indústria. Mesmo a Cleawire, o maior fornecedor de WiMAX no mundo, tem vindo a testar modelos de serviço com LTE. Além disso, no início deste ano, os fabricantes mundiais de telemóveis apoiaram a versão final do LTE-Advanced, com capacidade para aumentar a velocidade de 1 Gbps.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado