IE 9 procura travar queda

Ao apresentar no próximo dia 15 em Portugal a versão 9 do Internet Explorer, a Microsoft procura evitar a quebra no número de utilizadores do seu browser. Em 2010 caiu perto de 10%, e este ano o Chrome e o Firefox tiveram importantes actualizações.

A Microsoft apresenta a 15 de Março em Portugal a nova versão do seu browser, enfrentando uma forte concorrência da Google, com o Chrome 10 e da Mozilla com a versão 4, do Firefox. De acordo com dados do Netscope, durante 2010 o Internet Explorer perdeu 10% de quota de mercado, apesar de continuara a ser o mais utilizado no país. Segundo a última edição do relatório perto de  68% dos 11,7 mil milhões de pageviews contabilizados nesse ano foram acedidos através do Internet Explorer, que foi seguido pelo Mozilla Firefox, com uma quota de 21%, e pelo Google Chrome, com 7.5%. O último duplicou a sua quota durante o referido ano.

A versão final do Internet Explorer 9 passa a ser disponibilizado online a partir de segunda-feira (14/03), um ano depois da sua primeira pré-apresentação. Os principais argumentos envolvem maior velocidade – usufruindo do motor Chakra, para JavaScript, e aceleração por hardware, para grafismos mais pesados –; maior segurança – protecção contra rastreio e monitorização externa e filtragem ActiveX – além de uma interface nova, minimalista, com mais espaço para a apresentação dos sites.

A versão 4.0 do Firefox ainda não está pronta, mas já foi lançada uma edição preliminar que já não deve sofrer muitas alterações. Tem uma interface radicalmente diferente e oferece novos controlos de privacidade.Se não forem detectados problemas, a versão será disponibilizada no final do corrente mês.

O Chrome 10 já está disponível para ser descarregado. Os actuais utilizadores deverão migrar quase automaticamente. O browser traz uma nova funcionalidade de sincronização de passwords, encriptação de sincronizada de dados, e uma interface de configurações melhorada. A segurança também foi reforçada com a funcionalidade de quarentena aperfeiçoada: teoricamente evita que o software malicioso interaja com o resto do sistema e inclui o leitor de Flash.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado