Roff abre filial na Suécia

A empresa do grupo Reditus anunciou um investimento de um milhão de euros para desenvolver a sua presença no mercado nórdico, e pretende facturar perto de três milhões na região durante o primeiro ano de actividade.

A Roff anunciou a abertura da filial Roff Nordic, sedeada na Suécia e com área de acção centrada no mercado nórdico. O investimento vem reforçar a estratégia de internacionalização da empresa, que espera facturar cerca de três milhões de euros no primeiro ano de actividade no mercado nórdico, de acordo com um comunicado.

Aumentar o volume de serviços prestados em regime de nearshoring e explorar, juntamente com a SAP local, oportunidades em novos clientes e segmentos do mercado, são os objectivos da Roff, que espera investir neste mercado um milhão de euros nos próximos três anos apenas em custos indirectos. Os custos directos irão variar de acordo com o volume de serviços contratados, explica o comunicado.

A empresa revela ainda que na sua fase inicial, a Roff Nordic irá funcionar com cinco colaboradores sedeados em Estocolmo, que transitam do escritório de Lisboa, e será reforçada com recursos locais.
Francisco Febrero, CEO da ROFF, refere que “desde o final de 2008 que a ROFF tem tido uma actividade permanente nos países Nórdicos. Essa presença local, por vezes com um contingente muito alargado de colaboradores, deu-nos uma excelente visão das oportunidades que existem e do potencial do mercado. Sabemos que podemos ser bastante competitivos considerando a nossa competência, a flexibilidade, que nos permite ir ao encontro das necessidades dos nossos clientes, e não descurando o custo dos nossos serviços”, conclui.

Sobre a escolha de Estocolmo para sede da nova filial, o CEO da ROFF, salienta que “teve sobretudo a ver com a sua centralidade. A sua excelente localização geográfica facilitará o contacto com toda a região. Por outro lado, é a cidade capital do país com o maior mercado da Escandinávia.”

A Roff deu início à sua estratégia de internacionalização em 2006, abrindo escritórios em Paris e Luanda, para fazer face à crescente procura e reconhecimento dos seus serviços de qualidade na Europa e em África, respectivamente. Desde então, a empresa tem vindo a desenvolver operações noutros países, como é o exemplo da Suíça, e num conjunto de regiões igualmente estratégicas como o Norte de África, Médio Oriente e América do Sul, diz o comunicado da empresa.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado