Wi-Fi no aeroporto pode significar perda de passwords

Riscos de usar serviços de acesso à Internet em locais públicos, como aeroportos.

Utilizar os dispositivos portáteis nos aeroportos, desfrutando das zonas com ligação Wi-Fi, implica partilhar “dados pessoais importantes, como sejam passwords, nomes de utilizador ou informação financeira” mas “a maioria das vezes, estes dados não estão encriptados, o que significa que qualquer um pode interceptá-los com fins maliciosos”, alerta Dmitry Bestuzhev, perito em segurança da Kaspersky Lab.
A empresa de segurança informática considera, em comunicado, que “a melhor opção” é usar ligações por VPN (rede privada virtual). No entanto, “muitos administradores de serviços públicos de ligação à Internet bloqueiam este acesso para se assegurarem que a sua rede não será usada com objectivos mal-intencionados. Deste modo, ao limitar a ligação nos ‘hotspots’ apenas às redes Wi-Fi, permite-se que os cibercriminosos consigam lançar ataques ‘man-in-the-middle’, em que o hacker adquire a capacidade de ler, inserir e modificar à sua vontade as mensagens trocadas entre duas partes, sem que nenhuma delas de aperceba que a ligação entre si foi, na verdade, violada”.
Se a VPN estiver bloqueada, a Kaspersky Lab aconselha que se usem ligações SSL, “reconhecível através das letras https no início do endereço” URL, como https:// e não o tradicional http://.
Quanto a página Web “é carregada, devemos comprovar que o certificado utilizado na encriptação é válido e remete para a página Web verdadeira”. Finalmente, uma outra solução mais segura “é usar uma ligação Ethernet por cabo em vez de uma ligação Wi-Fi” se ela estiver disponível.
A empresa considera que, “se a ligação for feita a partir de um local público, o melhor é mesmo não consultar quaisquer serviços de banca electrónica ou de pagamento electrónico, já que a obtenção dos dados que dão acesso a estes serviços é o grande objectivo dos ciber-delinquentes”.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado