Organismo da Internet pode esgotar endereços IPv4 esta semana

Todos os seus endereços podem ser atribuídos às entidades regionais, um marco no caminho para uma Internet IPv6.

A actual lista de endereços da Internet pode começar a desaparecer esta semana, se um “registry” (entidade de registo) regional da Internet fizer mais um pedido de dois blocos de endereços.
A APNIC (Asia Pacific Network Information Centre) é elegível para solicitar dois grandes blocos de endereços IPv4 (Internet Protocol, versão 4), dado que os utilizadores foram utilizando os endereços de forma suficientemente rápida, segundo Leo Vegoda, gestor de recursos na Internet Assigned Numbers Authority (IANA). Como só há apenas sete destes grandes blocos, a atribuição à APNIC activaria uma política da IANA para ceder os últimos cinco blocos aos cinco “registry” regionais, referiu Vegoda.
Os especialistas vêm alertando há anos os fornecedores de acesso à Internet (ISP ou Internet Service Providers) e as empresas que os endereços IPv4 estão destinados a acabar em breve. Várias correções técnicas adiaram aquele dia mas a atribuição final desses blocos finalizaria o fornecimento desses endereços. Isso seria um marco no caminho para uma Internet totalmente baseada no mais recente protocolo, o IPv6.
Normalmente, demora cerca de dois dias úteis para atender uma solicitação de um “registry” regional da Internet (RIR) como a APNIC para ter mais blocos de endereços, e isso pode ser feito mais rapidamente, se necessário, refere Vegoda. A IANA não se pronuncia sobre a atribuição de endereço até estarem concretizados, mas “seria certamente possível para nós processar umpedido antes do final desta semana”, disse. A APNIC, com sede em Brisbane (Austrália), não esteve imediatamente disponível para comentar sobre uma possível solicitação de endereços.
O momento sugere que as previsões de que os endereços IPv4 estarão esgotados em breve pode estar correcta. Martin Levy, director de estratégia de IPv6 no ISP Hurricane Electric, previu na semana passada que a reserva de endereços da IANA estaria esgotada esta semana. Ao mesmo tempo, dois “relógios” online que estimam a data de esgotamento do IPv4 mostram que esse momento já devia ter ocorrido ou pode acontecer muito em breve. Na segunda-feira, o The IPv4 Depletion Site mostrou que a “data de esgotamento do IANA” já tinha chegado. Um antigo relógio sobre o IPv4 em Potaroo.net prevê que isso vai suceder a 2 de Fevereiro.
A IANA é a parte do ICANN (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) que aloca os endereços IP para os RIR. As organizações regionais, por sua vez, atendem as solicitações dos ISP e de outros clientes nas suas regiões para fornecerem pequenos blocos de endereços. Depois da IANA ceder o último dos seus chamados blocos “/8” (cada um com cerca de 16 milhões de endereços), os RIR não terão qualquer fornecimento adicional após terem cumprido as solicitações dos seus clientes.
Isto não quer dizer que, de repente, um utilizador não possa obter um endereço IPv4 novo, observa Vegoda. Além dos restantes endereços detidos pelos RIR, existem alguns endereços deixados em blocos mais antigos atribuídos antes dos RIR terem sido estabelecidos, e que os RIR dividiram entre si. Mas, dada a rápida adopção de novos endereços nalgumas partes do mundo, esses recursos podem ser utilizados em breve.
Por exemplo, os endereços disponíveis na APNIC foram esgotados em mais de um terço desde 12 de Janeiro, segundo dados no sítio Web da organização. Em 12 de Janeiro, os endereços livres na APNIC somavam 2.26 dos grandes blocos /8. Esta terça-feira, último dia em que a agência tem estatísticas disponíveis, os endereços remanescentes totalizaram apenas 1.4 blocos, ou aproximadamente 22.4 milhões de endereços.
A taxa de pedidos de endereços aos RIR está, provavelmente, a acelerar em parte porque os candidatos estão preocupados que os endereços IPv4 vão acabar,  disse Vegoda.
“Tenho a certeza de que alguns destes ISPs anteciparam planos de implementação que deveriam fazer no final do ano e pensaram: “se não conseguirmos endereços agora, não seremos capazes de fazer essa implantação em particular”, refere Vegoda. “Seriam desumanos se tivessem feito algo diferente”.
No entanto, ele estava confiante de que todos os que solicitavam os endereços os iriam usar. Alguns observadores receiam que entidades privadas podem estar a armazenar endereços apenas para os vender num momento mais apetecível.
Um RIR tem o direito de pedir mais endereços baseado em quão rápido ele é a atribuir endereços e quantos ainda tem, explica Vegoda. Para a Ásia-Pacífico, América do Norte e “registries” europeus, isso significa ser capaz de pedir novos blocos de endereços se estão a caminho de esgotar-se no prazo de nove meses. (A América Latina e os RIR africanos estão a distribuir endereços menos rapidamente, porque a procura é menor). À taxa actual, a APNIC pode precisar de dois blocos /8 no prazo de nove meses, antecipa Vegoda.
O IPv4, instituído em 1983, permite apenas cerca de 4,3 milhões de endereços, e desde o início houve apenas 256 dos blocos /8. A maioria já está alocada e muitos estão reservados para usos especiais, como multidifusão de “streams” de vídeo.
O IPv6 tem um espaço de endereços muito maior, o que permite um número quase ilimitado de endereços únicos. A IANA aloca endereços IPv6 de maneira semelhante ao IPv4, excepto que em blocos maiores “/12”, refere aquele responsável.
O alargamento do espaço de endereços deverá ser mais crítico para os utilizadores nos países em rápido desenvolvimento, como a China e a Índia, bem como para os muitos novos dispositivos móveis que estão a ser utilizados para aceder à Internet. A transição para o IPv6 será gradual, mas até mesmo uma empresa com bastantes endereços IPv4 deve começar a suportar o IPv6, para quando atingir o momento final em que não será capaz de obter mais endereços IPv4, diz Vegoda. Caso contrário, eventualmente, precisará de usar dispositivos das redes dos ISP que traduzem entre os dois protocolos. Isto poderia causar atrasos e, possivelmente, problemas de comunicação se forem incompatíveis com certos protocolos.
Google, Facebook, Cisco Systems, Verizon Business e outros grandes fornecedores de serviço vão marcar presença no World IPv6 Day, em Junho, um teste global do novo protocolo, organizado pela Internet Society. Durante 24 horas, as empresas participantes vão executar os seus sítios Web públicos tanto em IPv4 como IPv6.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado