Lexmark cada vez mais focada no A4

O fabricante reforçou o seu portefólio com 13 novos modelos de impressão laser a cor para grupos de trabalho e um multifunções de “charme”: o Genesis S815 beneficia de uma nova tecnologia de digitalização, baseada num sensor de 10 megapixeis.

Na  visão da Lexmark sobre o mercado, já não faz sentido as empresas apostarem em impressoras A3, a não ser mesmo pelo formato do papel. Assim, o fabricante reforçou o seu portefólio com seis modelos de máquinas de impressão (duas impressoras C792e  e quatro multi-funções X792e) em A4. Para as empresas que precisam mesmo de impressão em A3 o fabricante tem dois novos modelos de impressoras C925e e um multi-funções X925.
Direccionado para o mercado de escritórios de advocacia ou consultórios médicos,  ou simplesmente para os utilizadores de iPad, a  Lexmark apresentou ontem, em Madrid (Espanha), o Genesis S815. Um multifunções de “charme”, com  desenho mais sofisticado, cujo principal atractivo será a facilidade de digitalização e espaço ocupado (menos 30% face a equipamentos semelhantes, diz o fabricante).

A tecnologia Flash Scan é baseada num sensor fotográfico de 10 megapixéis e numa lente “olho de peixe”. Não usa motores, nem correias. Um visor digital permite pré-visualizar o resultado final e gerir as aplicações instaladas na máquina. E os documentos são colocados de forma quase perpendicular à base da máquina. Segundo o fabricante,  o sistema não foi disponibilizado antes, por só agora se ter desenvolvido e integrada a tecnologia de correcção, para as imagens produzidas pela óptica.

A3 já não faz sentido

A aposta da Lexmark nas máquinas de impressão laser a cor em A4 assenta em previsões de evolução de mercado, segundo as quais, em 2012,  80% das máquinas de impressão instaladas serão para A4. Em 2008, eram 76%. Conjugando dados de duas consultoras (IDC e NewField IT), o fabricante diz que menos de 3% das impressões são em papel A3. Isto está a acontecer, segundo a empresa, porque os argumentos para escolher as A3 também já existem nas A4: velocidade, robustez, sistemas de agrafar, etc.

Outra tendência do mercado detectada pela Lexmark é a redução e padronização do parque instalado, usando multi-funções, por necessidade de reduzir custos. As empresas estão a dar também  mais valor a funcionalidades adicionais como a segurança e facilidade de utilização (sem necessidade de formação).

A empresa nota também a concorrência dos fabricantes  de copiadoras e que as empresas médias aceitam melhor a impressão e cópia como um serviço (gerido ou não por uma entidade externa). Por fim, os clientes parecem estar mais sensíveis à preservação do ambiente, não só por via da regulação.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado