Rogério Carapuça desafia Estado a reorganizar-se

É fundamental para a modernização do Estado reformular a sua estrutura, segundo Rogério Carapuça (Novabase) e José Galamba de Oliveira (Accenture).

Durante um debate no Congresso das Comunicações, o presidente da Novabase, Rogério Carapuça, e o presidente da Accenture Portugal, José Galamba de Oliveira, defenderam que o Estado precisa de reorganizar a sua estrutura. Na visão de Rogério Carapuça esta assenta em pilares muito antigos e devem ser mesmo colocados em questão. Para modernizar os Estado, “é preciso reinventar a sua orgânica”. E o momento de crise é benéfico para esses projectos, defende o responsável. O mesmo critica a existência, por exemplo, de infra-estruturas de back-office, individuais e separadas, para ministérios com actividade na mesma área. Defende, nesses casos, a unificação dessas plataformas, de forma a poderem ser partilhadas.
Carapuça arriscou mesmo defender as parcerias público-privadas, considerando-as um bom modelo, para promover mudanças, e lembrou que “nenhum Estado muda sozinho”. Assim, aponta como principal problema desse tipo de cooperação o facto de o risco de negócio ser assumido, na maior parte, pelo Estado.
Quase na mesma linha,  Galamba defende a definição de uma visão estratégica do que Portugal pretende para a sua Administração Pública. “Depois deve romper” com o modelo estabelecido, ajudado pela colaboração com os parceiros privados.
A secretária de Estado para a Modernização Administrativa, Maria Manuel Marques, considerou que o aperfeiçoamento da Administração Pública passa pela mudança de cultura, “que não se faz por decreto”. E concordou que a crise pode promover essas alterações, apesar de não defender uma abordagem inteiramente radical como Carapuça e Galamba.
Rogério Carapuça acrescentou ainda que a simplificação de processos é insuficiente por não colocar “em causa a organização estrutural do Estado”.
Os três intervenientes consideraram determinante o papel da geração digital de funcionários públicos na transformação da cultura da administração pública. O chairman da Novabase alertou para a necessidade de lhes transmitir conceitos fundamentais de cidadania.



Deixe um comentário

O seu email não será publicado