AR recomenda portal para venda online de produtos nacionais

Empresas devem pagar “anuidade residual” para estar no novo portal.

A Assembleia da República (AR) recomendou ao Governo a criação de um portal na Internet dedicado à exportação de produtos nacionais, bem como a criação de uma central para vendas e promoção online desses produtos.
Neste caso, a AR quer uma “inscrição por pagamento de uma anuidade residual de empresas que pretendam ter acesso ao novo portal”, que deve incorporar “uma base de dados de produtos disponíveis para venda, com as característica de um catálogo multilingue — indicando preços, características, produtores ou comercializadores e disponibilidades de produtos produzidos por empresas portuguesas”.
Recomenda-se ainda adopção de “medidas para a publicitação do portal de vendas, nomeadamente através de postos de turismo e locais de interesse turístico a nível nacional e regional, bem como no serviço público de televisão.
A gestão financeira do serviço caberá ao Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas (IAPMEI), que gerirá um fundo para “acesso das empresas a apoios futuros”.
As duas recomendações da Assembleia seguem a proposta do deputado socialista Jorge Seguro Sanches, que apresentou em Maio um projecto nesse sentido e a discutiu em Outubro.
Seguro Sanches, ex-director da Microsoft, é ainda o autor da proposta para se usar mais a videoconferência para reuniões no Estado, tendo questionado o Governo, também em Maio, sobre a “rentabilização das infra-estruturas de banda larga por parte do Estado. Poupança em deslocações e comunicações”.
No seu blogue Autarquia Digital, Hugo Cartaxeiro, também da Microsoft, contabilizou o alargamento dessa medida às autarquias.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado