OE 2011: Empresas deduzem e prazo alargado para I&D

Programas de facturação são dedutíveis e SIFIDE vigora até 2015.

O Orçamento de Estado para 2011, aprovado hoje em Conselho de Ministros, prevê que as empresas possam “deduzir como gasto fiscal as despesas com aquisição de programas e equipamentos informáticos de facturação certificados“, diz o Diário de Notícias.
No caso da investigação e desenvolvimento empresarial, o governo pretende que o Sistema de Incentivos Fiscais em Investigação e Desenvolvimento Empresarial (SIFIDE) se mantenha até 2015, segundo o jornal de Negócios.
“Nesta proposta de Orçamento, o Executivo não realizou quaisquer alterações às despesas elegíveis para a obtenção destes incentivos”, como “a aquisição de imobilizado, à excepção de edifícios ou terrenos, que estejam afectos à I&D. A despesa com pessoal e com o próprio funcionamento, desde que ligado ao I&D, também é elegível.
O SIFIDE II contempla uma dedução fiscal de 32,5% aplicável à despesa total em I&D realizada a partir de 2011, a somar à dedução de 50% do aumento desta despesa em relação à media dos dois anos anteriores, até ao limite de 1,5 milhões de euros”.
O Orçamento será hoje entregue na Assembleia da República.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado