Sucesso do Windows Phone 7 é vital para a Microsoft (com vídeo)

O lançamento do novo sistema operativo é visto por muitos analistas como uma iniciativa determinante por parte do fabricante no mercado da mobilidade, mas também para o resto da sua actividade.

Vários observadores do mercado de TIC consideram que o sucesso do Windows Phone 7 (WP7), a ser lançado hoje pela Microsoft, será tão importante para o domínio do gigante no sector em geral, como para as suas iniciativas de mobilidade.
“Numa escala de 1 a 10, este anúncio equivale a 11” diz Ramon Llamas, um analista da IDC. “É decisivo”. A Microsoft terá de provar que já suplantou o desempenho desapontante do actual sistema operativo, Windows Mobile OS, e o insucesso tremendo de uma linha de telefones direccionada para as camadas mais jovens, lançada n Primavera, mas descontinuada dois meses mais tarde.
Maior desafio será ainda, saber como o WP7 se consegue diferenciar face aop iPhone e ao Android, assim como perante os smartphones Blackberry, da RIM, entre os utilizadores empresariais.

“Com o WP7 a Microsoft está a tentar recuperar o terreno perdido para todos os concorrentes”, diz Zeus Kerravala, analista no Yankee Group. “De muitas formas, penso que perderam a oportunidade da mobilidade. O Windows Mobile deixou uma impressão desagradável entre os utilizadores, e agora tentar que os clientes experimentem a Microsoft e o WP7 vai ser difícil, especialmente com a popularidade do Android e da Apple.” A Microsoft precisa de substituir esses produtos falhados por um conjunto atraente de dispositivos WP7, capaz de seduzir as pessoas, sugere Llamas.

A Microsoft não tem revelado muita informação sobre a oferta final dos dispositivos, e o fabricante parece não ter ficado apenas pelos smartphones: alguns analistas prevêem mais novidades na área dos tablets.

Os fabricantes de dispositivos como a HTC, a LG e a Samsung devem mostrar os seus novos produtos. No Youtube há já vários vídeos a mostrarem o interface diferenciador do WP7. Um deles mostra a incorporação de cinco aplicações famosas:  Netflix, Twitter, Flixster, OpenTable e Travelocity.

A reter:

– Hoje o Windows Mobile OS beneficia de uma quota de mercado de  6,8% no mercado global dos smartphones, uma quota que a IDC prevê crescer para 9,8% no final de 2014 com o WP7 e futuras gerações;

– A comunidade mundial de programadores até agora já descarregou mais de 300 mil cópias de ferramentas de desenvolvimento de aplicações;

– até ao lançamento do produto, aMicrosoft ainda não revelou quantas aplicações estarão disponíveis na sua plataforma de venda de aplicações Windows Phone Marketplace. A questão é importante, se houver muito poucas, será desastroso: em 2009 o Palm Pré foi lançado com apenas 32 aplicações;

– o conceito de “hubs” e “mosaicos” pode seduzir os utilizadores como forma de apresentar acessos pertinentes informações logo desde a página inicial. Prescinde-se da necessidade de abrir uma aplicação;

– o que pode ser considerado um sucesso para o WP7? Vender três milhões de dispositivos em três dias? Não. Mas vai ser um software de virar cabeças? Parece que sim. Contudo não será um fenómeno sensacional de um dia para o outro.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado