UE lança projecto de conectividade wireless em África

O projecto de banda larga tem por objectivo estimular o desenvolvimento económico das zonas rurais.

A União Europeia (UE) lançou um projecto-piloto que tem por objectivo levar conectividade wireless de banda larga às zonas rurais de África, sendo que o primeiro país a testar o projecto será a África do Sul. O projecto pretende estimular o desenvolvimento económico rural, através da implementação de tecnologia de rede sem fios em malha(Wireles Mesh Network) baseada nos standards IEEE 802.11 a/b/g, que permitirá a disponibilização de serviços de telecomunicações por banda larga às empresas locais.

Na África do Sul, a UE estabeleceu uma parceria com o Departamento de Ciência e Tecnologia para a implementação do projecto, que terá um custo de 30 milhões de euros. Embora a África do Sul seja o segundo maior mercado de telecomunicações do continente africano logo a seguir à Nigéria, muitas das áreas rurais do país – e as escolas e empresas instaladas nessas regiões – ainda não têm acesso à Internet. O objectivo da UE é atingir uma cobertura de 95 por cento nas áreas de intervenção.

À semelhança do que se passa na África do Sul, muitas zonas rurais do continente africano ainda não contam com ligação à Internet. O governo sul-africano e a União Europeia querem criar pequenas empresas geridas por operadores locais e proporcionar serviços de acesso à Internet e VOIP (voice over Internet Protocol) a mais de 450 entidades públicas, na sua maioria escolas.
Na fase inicial do projecto, como refere o Departamento de Ciência e Tecnologia da África do Sul, serão intervencionadas instalações comunitárias como escolas, clínicas e bibliotecas, que passarão a contar assim com infra-estruturas de banda larga.

O continente africano, de acordo com a UE, necessita de uma solução híbrida que permita a conectividade, tais como a combinação de tecnologias de fibra óptica e banda larga wireless, bem como uma abordagem profunda em termos de crescimento das infra-estruturas e aplicação de regulações.




Deixe um comentário

O seu email não será publicado